Future of Money

Usuário com lucro de R$ 200 milhões movimenta bitcoins pela 1ª vez após 10 anos

Endereço de carteira digital com as unidades da criptomoeda não registrava nenhuma movimentação de ativos desde 2014

Bitcoin valorizou mais de 50% em 2024 (Reprodução/Reprodução)

Bitcoin valorizou mais de 50% em 2024 (Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 6 de maio de 2024 às 14h02.

Uma carteira digital que estava adormecida desde 2014 e que continha 687 unidades de bitcoins registrou a sua primeira movimentação de ativos em dez anos nesta segunda-feira, 6. Considerando a valorização da criptomoeda desde então, o dono da carteira tem um lucro de mais de US$ 40 milhões (R$ 200 milhões, na cotação atual).

A movimentação foi identificada pela plataforma de monitoramento de dados em blockchain LookOnChain. Em uma publicação no X, antigo Twitter, a empresa deu mais detalhes sobre o "despertar" da carteira digital, com uma movimentação de toda a quantia que estava armazenada.

De acordo com a publicação, a carteira digital recebeu as unidades de bitcoin em 2014. Na época, a quantia somava US$ 630 mil, com uma cotação de US$ 917 por unidade da criptomoeda. Desde então, porém, o ativo teve uma forte valorização. Atualmente, cada unidade é cotada em US$ 63 mil.

Após anos parada, a carteira registrou a sua primeira movimentação e foi imediatamente esvaziada pelo seu dono, que agora possui um lucro de US$ 43 milhões, aproximadamente. Até o momento, ainda não se sabe se o investidor realizou o lucro, o que envolveria a venda dos ativos.

A tecnologia blockchain permite que as transações entre carteiras nas redes sejam transparentes em relação aos valores e endereços de destino e origem, facilitando o monitoramento de carteiras como a que estava dormente há 10 anos.

Por outro lado, a tecnologia também possui um caráter de anonimato, sem uma identificação sobre o dono dessa carteira, que por enquanto segue desconhecido. Nesses casos, a identificação ocorre apenas caso o próprio dono se identifique ou se um trabalho investigativo descubra a identidade.

Além disso, não há uma garantia que o investidor realizou a movimentação após tantos anos para realizar lucros e vender as unidades de bitcoin. Em alguns casos, os investidores conseguem recuperar o acesso à carteira e apenas transferem a quantia para outro endereço, mantendo o armazenamento com foco em longo prazo.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Ferrari anuncia que vai aceitar pagamentos em criptomoedas na Europa

Worldcoin, projeto de Sam Altman, nega acusações de insider trading de criptomoeda própria

Donald Trump vai cobrar R$ 300 mil por fotos em evento sobre bitcoin

Drex: Campos Neto diz que soluções para problemas estão 'muito perto' e prevê 'boas notícias'

Mais na Exame