Future of Money

Bitcoin só voltará a disparar após eleições nos EUA, diz CEO de gestora de R$ 40 bilhões

Mike Novogratz avalia que maior criptomoeda do mercado está em "fase de consolidação" de preço e precisa de nova narrativa para voltar a subir

Mike Novogratz é CEO da Galaxy Digital (ohn Lamparski / Correspondente/Getty Images)

Mike Novogratz é CEO da Galaxy Digital (ohn Lamparski / Correspondente/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 16 de maio de 2024 às 17h45.

Mike Novogratz, CEO da gestora Galaxy Digital, afirmou na última terça-feira, 14, que o bitcoin entrou em uma "fase de consolidação" de preço que dificulta novas disparadas como as observadas no primeiro trimestre do ano. Entretanto, ele acredita que um evento específico poderá retomar esse movimento.

Novogratz é um conhecido entusiastas de criptomoedas e é responsável por uma gestora com mais de US$ 8 bilhões (R$ 40 bilhões, na cotação atual) em ativos sob gestão. E, na visão do executivo, é preciso que o mercado cripto ganhe uma nova narrativa para impulsionar preços e tirar o setor da lateralidade.

Para o executivo, esse evento será o resultado da eleição presidencial nos Estados Unidos, prevista para novembro deste ano. O pleito deverá ser marcado por um embate entre o atual presidente, Joe Biden, e o seu antecessor, Donald Trump. E Novogratz avalia que o evento tende a impactar o preço do bitcoin.

Ele destacou que, na visão do mercado, a administração Biden ficou associada com uma postura contrária às criptomoedas, enquanto Trump é visto como um político mais aberto ao setor. Por isso, os investidores tendem a reagir positivamente ou negativamente ao resultado do pleito.

Novogratz destacou que a posição de alguns políticos do partido de Biden "fez com que a comunidade cripto considerasse que os Democratas estão dizendo não para as criptomoedas. E isso é injusto, existem dezenas de Democratas que são pró-cripto, mas o poder está nas mãos da [senadora crítica a cripto] Elizabeth Warren e do [presidente da SEC] Gary Gensler".

O CEO da Galaxy Digital pontuou ainda que a posição pode acabar prejudicando o partido devido à popularidade das criptomoedas no país. Ao mesmo tempo, ele aponta que a falta de clareza e avanços na regulação de cripto nos EUA tem segurado o ímpeto de alta do bitcoin e de outros ativos.

"Eu acho que é um pouco perigoso [a divisão na visão sobre Republicanos e Democratas sobre cripto] porque, para a nova indústria progredir, ela vai precisar de um apoio dos dois partidos. Porque nós não podemos ir de um regime [para o setor] para outro sem saber em que pé as coisas estão", disse.

Mas, até que o resultado da eleição influencie no comportamento dos investidores, Novogratz acredita que o bitcoin vai variar entre uma faixa de preço de US$ 61 mil a US$ 75 mil.

"Eu acho que provavelmente ficaremos nesse patamar certamente neste trimestre e provavelmente no próximo, ou então até que o Fed comece a cortar a taxa de juros porque a economia finalmente desacelerou, ou então nós precisaremos esperar a eleição passar", explicou.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasBitcoinEleições EUA 2024

Mais de Future of Money

Criptomoeda ligada ao Telegram estreia no mercado com disparada de 4.650% e alta volatilidade

IA e blockchain: a união do futuro? Apostando no setor, BTG disponibiliza duas novas criptos na Mynt

Morgan Stanley revela investimento de mais de R$ 1 bilhão em ETFs de bitcoin

Dona da Bolsa de Chicago quer oferecer negociação à vista de bitcoin e competir com exchanges

Mais na Exame