Shiba inu é a criptomoeda mais procurada por 'baleias' da rede Ethereum

Mesmo em queda, criptomoeda-meme foi o principal alvo das mil carteiras mais ricas da rede Ethereum; média foi de 20 bilhões de tokens adquiridos por cada endereço
Shiba inu foi a criptomoeda mais comprada pelas maiores carteiras da rede Ethereum na última semana (NurPhoto/Getty Images)
Shiba inu foi a criptomoeda mais comprada pelas maiores carteiras da rede Ethereum na última semana (NurPhoto/Getty Images)
G
Gabriel Rubinsteinn

Publicado em 12/11/2021 às 11:35.

Última atualização em 12/11/2021 às 15:13.

Apesar da forte queda de preços em novembro, grandes investidores continuam apostando suas fichas na criptomoeda shiba inu (SHIB). O movimento de baixa derrubou a criptomoeda-meme em 40% desde a sua máxima, mas as maiores carteiras da rede Ethereum, onde o token circula, aproveitaram a baixa para ir às compras e adicionaram uma média de 20 bilhões de unidades do ativo cada na última semana.

A shiba inu foi, segundo o site WhaleStats, que monitora as mil carteiras mais ricas da rede Ethereum, a criptomoeda mais comprada da última semana. Em média, os endereços entre os mil mais ricos que adquiriram o ativo digital compraram 20,5 bilhões de SHIB, equivalentes a US$1,2 milhão.

O segundo mais comprado pelas carteiras mais ricas foi o ether, criptomoeda nativa da rede, mas o valor adicionado por cada uma ficou muito abaixo da criptomoeda-meme: em média, 39 ETH, ou cerca de US$ 176.800.

A lista dos ativos mais comprados pelas carteiras das "aleias" da rede Ethereum na última semana ainda inclui a stablecoin USDC na terceira posição, seguida por OMG; o token de governança de Axie Infinity, AXS; a stablecoin TUSD, a criptomoeda nativa do Boson Protocol; o token de governança da Curve, CRV; e as criptomoedas de protocolos de DeFi, SUSHI e MKR.

Apesar das compras consideráveis pelas grandes carteiras, a maioria dessas criptomoeda continua em queda nesta sexta-feira, 12, puxadas pelo bitcoin, que por representar quase 45% do valor de mercado total dos criptoativos, tem força para influenciar todo o setor.

A maior criptomoeda do mundo opera em queda de 1,1%, negociada abaixo dos US$ 64.000. Já o ether cai 2%, cotado a US$ 4.600.

'Baleias' movimentam bilhões em shiba inu

Grandes movimentações de shiba inu se tornaram comuns em outubro, quando o preço da criptomoeda subiu quase 10 vezes até o recorde de US$0,00008 em 28 de outubro, e também em novembro, quando começou a cair até o seu preço atual, de US$0,00005.

Na primeira semana de novembro, a segunda maior carteira de SHIB, que comprou quase 80 trilhões de SHIB em 2020, quando o total de criptomoedas era equivalente a US$ 8.000, fez quatro transações para enviar metade dos seus fundos para outros endereços - apenas esta parte era equivalente US$ 2,75 bilhões no momento da operação.

Depois, uma carteira misteriosa comprou o equivalente a US$ 750 milhões em SHIB durante a queda recente. Foram sete transações milionárias ao longo de dez dias, entre o final de outubro e o começo de novembro. A carteira pode pertencer a um indivíduo, uma instituição financeira ou à uma plataforma de negociações, mas ainda não foi identificada.

Nos últimos dias, outra carteira também chamou atenção com grande movimentação de tokens SHIB. Foram movidos 20 trilhões de tokens de um endereço que pertence à corretora Crypto.com para um endereço desconhecido.

Recentemente, também surgiram dados apontando enorme concentração das criptomoedas inspiradas na raça de cachorro. Segundo dados do blockchain, as 15 maiores carteiras de SHIB detêm quase 70% do total de tokens em circulação, o que pode ser um risco para outros investidores.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube