Future of Money

Bitcoin tem menor preço em dois meses, mas sinaliza recuperação; entenda o que está acontecendo

ETFs e a política monetária dos EUA continuam impactando a cotação das principais criptomoedas; bitcoin despenca no Dia do Trabalho, mas sinaliza recuperação

 (Reprodução/Reprodução)

(Reprodução/Reprodução)

Mariana Maria Silva
Mariana Maria Silva

Repórter do Future of Money

Publicado em 2 de maio de 2024 às 10h47.

Última atualização em 2 de maio de 2024 às 11h21.

Tudo sobreBitcoin
Saiba mais

O preço do bitcoin, maior criptomoeda do mundo, despencou na última quarta-feira, 1, Dia do Trabalho. A criptomoeda, que acumulou expectativas otimistas e recordes de preço no início deste ano com a aprovação dos primeiros ETFs de bitcoin à vista nos EUA e o halving, agora passa por um momento de cautela por parte de investidores e especialistas.

O que está acontecendo com o bitcoin?

No momento, o bitcoin é cotado a US$ 58.667, com alta de quase 2% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinMarketCap. A recuperação veio após a principal criptomoeda despencar para US$ 56.852 no feriado do Dia do Trabalho. Naquele dia, investidores retiraram US$ 564 milhões dos 11 fundos negociados em bolsa (ETFs), o maior volume desde o seu lançamento em janeiro deste ano.

De acordo com João Galhardo, analista de research da Mynt, plataforma de criptoativos do BTG Pactual, o posicionamento do Federal Reserve, banco central norte-americano, colaborou para a recuperação do bitcoin nesta quinta-feira, 2.

Na última reunião do Comitê Federal do Mercado Aberto (FOMC), o Fed optou por manter a taxa de juros dos Estados Unidos, mas um discurso de Jerome Powell, o presidente da autarquia, trouxe um pouco de alívio para os investidores de ativos de risco.

"Na última quarta-feira, 1, durante o encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC), Jerome Powell transmitiu uma mensagem tranquilizadora ao mercado ao descartar a possibilidade de um aumento na taxa de juros como próximo passo da política monetária dos EUA. Esta posição veio em resposta às preocupações dos investidores, que temiam um aperto na taxa devido aos recentes indicadores econômicos”, disse Galhardo à EXAME.

“O bitcoin reagiu positivamente às notícias, registrando um aumento de mais de 3%, e retomando ao patamar de US$ 58 mil, depois de uma fase de quedas. No entanto, os investidores devem manter a atenção tanto no panorama macroeconômico dos Estados Unidos quanto nos desenvolvimentos dos conflitos no Oriente, fatores que continuam sendo determinantes para a dinâmica de preços da criptomoeda”, acrescentou o especialista.

Criptomoedas hoje

Além do bitcoin, o ether acompanha o movimento de recuperação no setor cripto, que movimentou no total US$ 76,4 bilhões nas últimas 24 horas.

A criptomoeda nativa da rede Ethereum é cotada a US$ 2.973, com alta de 2,9% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinMarketCap.

No mesmo período, ainda se destacam no cenário positivo outras criptomoedas entre as 20 maiores do mundo por valor de mercado:

• Solana (SOL): + 10,7%
• Shiba Inu (SHIB): + 6,7%
• Polkadot (DOT): + 5,8%
• Polygon (MATIC): + 6%

Sabia que você pode investir em Bitcoin, ether, Solana e muitas outras moedas digitais direto no app da Mynt? Comece com R$ 100 e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Clique aqui para abrir sua conta gratuitamente.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativosEthereum

Mais de Future of Money

Gestora brasileira Hashdex quer lançar ETF misto de bitcoin e ether nos EUA

Golpistas roubam R$ 15 milhões de gigante cripto e pedem recompensa por encontrar falha

Análise: mercado cripto passa por 2ª semana de correção, mas tendência ainda é de alta

Receita Federal aperta cerco contra corretoras estrangeiras de criptomoedas; entenda

Mais na Exame