Queda é momentânea: 'bitcoin pode chegar a US$ 1 milhão', diz bilionário

Bilionário e CEO da empresa de capital aberto que mais investe em bitcoin acredita que movimento de queda da criptomoeda não é duradouro, e altas significativas podem estar por vir
MicroStrategy possui quase US$ 4 bi em bitcoin (Malte Mueller/Getty Images)
MicroStrategy possui quase US$ 4 bi em bitcoin (Malte Mueller/Getty Images)
Por Mariana Maria SilvaPublicado em 20/05/2022 16:07 | Última atualização em 20/05/2022 16:07Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Apesar das recentes quedas no preço do bitcoin, que é negociado quase 60% abaixo de sua máxima histórica, grandes investidores mantém seu otimismo na maior criptomoeda do mundo.

Michael Saylor, CEO da empresa de capital aberto que mais investe em bitcoin, declarou na última quinta-feira, 19, que não pretende mudar a estratégia de tesouraria da MicroStrategy. A empresa possui 129.218 unidades de bitcoin, o equivalente a mais de US$ 3,7 bilhões.

Em entrevista ao Yahoo Finance, o bilionário fez previsões bastante otimistas sobre o futuro da criptomoeda. De acordo com Saylor, o preço do bitcoin pode ultrapassar US$ 1 milhão em algum momento, já que é a “moeda do futuro”.

“Não há meta de preço. Prevejo que compraremos bitcoin para sempre na alta do momento. E prevejo que o bitcoin chegue aos milhões. Então nós temos muita paciência. Acreditamos que é o futuro do dinheiro”, revelou o CEO sobre a posição de sua empresa quanto ao bitcoin.

No momento, o bitcoin opera em queda de 30% apenas no último mês, e é cotado a US$ 28 mil. De acordo com dados do CoinGecko, a empresa investiu US$ 3,97 bilhões na criptomoeda, e agora suas reservas valem US$ 3,73 bilhões, representando uma perda de US$ 200 milhões.

(Mynt/Divulgação)

As ações da MicroStrategy operam em queda de 9% nesta sexta-feira, de acordo com dados do Yahoo Finance. Quando uma empresa possui um valor tão alto em bitcoin, é natural que o valor de suas ações sofra com o impacto nos preços da criptomoeda, de acordo com especialistas.

Enquanto isso, o novo diretor financeiro da MicroStrategy, Andrew Kang, disse à Bloomberg que a empresa não tem planos de vender nenhuma de suas unidades de bitcoin, apesar da atual pressão vendedora causada pela incerteza e medo que dominam o mercado.

Para Michael Saylor, a razão para o preço do bitcoin ter caído junto com outros ativos de risco – como as ações – é a pressão do Federal Reserve para conter a inflação, a partir de aumentos na taxa de juros norte-americana. Isso faz com que os investidores vendam suas posições em ativos de risco.

No entanto, isso não significa que o bitcoin seja um investimento “parecido” com as ações tradicionais, ou até mesmo outras criptomoedas, alerta Saylor. Para o bilionário, a maior criptomoeda do mundo “é superior a todo o resto”.

“Uma vez que as pessoas entendam por que o bitcoin é superior a todo o resto, as instituições investirão grandes quantidades de dinheiro e não teremos que lutar por essa longa explicação de como nos diferenciamos de 19.000 outras criptomoedas”, afirmou.

Com isso, o CEO acredita que a queda no preço do bitcoin seja apenas temporária, e a criptomoeda volte a apresentar lucros para sua empresa em breve. O principal fator que ajudará nisso, segundo Michael Saylor, é a democratização do acesso ao conhecimento sobre criptomoedas. “Com o tempo, à medida que as pessoas se tornarem mais educadas e confortáveis, acredito que nos recuperaremos dessa redução”, disse ele.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok