Future of Money

Investidor bilionário diz que bitcoin está “desvalorizado” e o compara com NVIDIA, Google e Meta

Bill Miller diz que bitcoin é “grande avanço tecnológico” e que os que continuarem a ignorá-lo não se darão bem na próxima década

 (CNBC/Getty Images)

(CNBC/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 12 de junho de 2024 às 10h41.

Última atualização em 12 de junho de 2024 às 14h38.

Tudo sobreBitcoin
Saiba mais

O bilionário Bill Miller acredita no potencial do bitcoin frente ao sistema monetário tradicional. Comparando a principal criptomoeda com grandes nomes da tecnologia como NVIDIA, Google e Meta, o investidor afirmou que o bitcoin ainda está “desvalorizado”, mesmo com uma capitalização de US$ 1,3 trilhão.

Desde 2015, Bill Miller fala sobre o potencial do bitcoin. Em um novo artigo recente, o investidor bilionário mostra que continua otimista com a criptomoeda. Segundo ele, os sistemas monetários tradicionais “são falhos devido ao controle humano”, o que leva à desvalorização das moedas fiduciárias como o dólar. Nesse caso, o bitcoin seria uma alternativa atraente.

“O desafio dos sistemas monetários atuais é que os humanos os controlam e o julgamento humano está sujeito a erros e influência. Os humanos são notoriamente ruins em contextualizar a relevância e o potencial das novas tecnologias”, disse Miller em uma publicação de seu blog.

“O bitcoin é um verdadeiro avanço tecnológico, pois agora existe uma rede de contabilidade global efetivamente inalterável, automatizada e transparente com governança descentralizada”, acrescentou.

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas do BTG Pactual e a curadoria dos melhores criptoativos para você investir.

Bitcoin está “desvalorizado”

Em 2024, o bitcoin atingiu uma máxima histórica de US$ 73.750 por unidade e ainda mantém uma capitalização de mercado acima de US$ 1,3 trilhão. Mas para Bill Miller isso ainda é pouco.

“Apesar do bitcoin ter atingido recentemente novos máximos em relação a todas as moedas fiduciárias, acredito que o bitcoin hoje ainda está significativamente subvalorizado”, disse ele.

“Minha opinião é que ele é muitos múltiplos de sua atual capitalização de mercado de US$ 1,5 trilhão em um mundo de sistemas de governança fiduciários que se aproximam rapidamente de um quatrilhão de dólares de capital”, acrescentou.

Ele argumenta que o Bitcoin, apesar da sua participação relativamente pequena no mercado de capitais global, oferece um sistema de governação monetária superior em comparação com as moedas fiduciárias tradicionais.

Ele traçou paralelos entre o bitcoin e outras tecnologias que revolucionaram o mundo, como as desenvolvidas pela NVIDIA, Google e Meta. O investidor também afirmou acreditar que a natureza descentralizada do bitcoin permite um sistema seguro e responsável para a transferência de direitos de propriedade, independente da intervenção humana ou da possibilidade de confisco.

“Continuar ignorando o bitcoin servirá aqueles que o fizerem na próxima década tão bem quanto na última – não muito bem”, concluiu.

Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas do BTG Pactual e a curadoria dos melhores criptoativos para você investir.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Show com Lauryn Hill e Mano Brown no Allianz Parque lança NFTs comemorativos

Governo da Alemanha conclui vendas de bitcoin e soma R$ 15 bilhões arrecadados

Goldman Sachs vai lançar projetos de tokenização de ativos até o fim de 2024

JPMorgan diz que mercado cripto terá nova alta em agosto, com queda nas vendas de bitcoin

Mais na Exame