Future of Money

Governo da Alemanha transfere R$ 1,5 bilhão em bitcoin para corretoras e preocupa mercado

Autoridades do país têm transferido volumes significativos da criptomoeda desde junho, gerando especulações de venda

Governo da Alemanha movimentou quantia bilionária de bitcoins (Westend61/Getty Images)

Governo da Alemanha movimentou quantia bilionária de bitcoins (Westend61/Getty Images)

João Pedro Malar
João Pedro Malar

Repórter do Future of Money

Publicado em 4 de julho de 2024 às 11h31.

O governo da Alemanha realizou uma nova transferência de bitcoins na última terça-feira, 3, elevando o total enviado para corretoras de criptomoedas para mais de US$ 300 milhões (mais de R$ 1,5 bilhão, na cotação atual) e reforçando temores sobre uma possível venda desses ativos.

O movimento mais recente realizado pelas autoridades do país envolveu o envio de 3 mil unidades da criptomoeda, avaliadas em cerca de US$ 175 milhões, para diversos endereços de carteiras digitais, incluindo dois endereços das corretoras Bitstamp, Coinbase e Kraken.

Mais da metade da quantia de bitcoins foi enviada para um endereço que ainda não foi investigado por empresas de análise de blockchain. Por isso, não há como saber se a carteira está ligada a uma corretora de criptomoedas ou simplesmente será usada para armazenar as unidades.

As transferências da criptomoeda começaram em 20 de junho, quando o governo da Alemanha pegou o mercado de surpresa ao movimentar US$ 425 milhões em ativos. Desde então, as autoridades têm realizado transferências específicas para contas em corretoras de criptomoedas.

Em geral, a transferência de ativos para carteiras digitais em corretoras indica uma intenção do dono das moedas digitais em vendê-las. Mesmo assim, não há como saber ao certo se o governo da Alemanha vendeu os ativos enviados às duas exchanges.

Em janeiro deste ano, a polícia da Alemanha recebeu cerca de US$ 2 bilhões em bitcoins, equivalentes a 50 mil unidades do ativo, que foram cedidos voluntariamente pelos suspeitos de operar um site de pirataria digital.

Apesar de existirem detentores maiores da criptomoeda, a possibilidade de venda pelo governo da Alemanha surgiu em um momento desfavorável para o bitcoin, com um cenário macroeconômico incerto e temores sobre o impacto do ressarcimento de clientes da corretora Mt. Gox.

Por isso, analistas apontam que as movimentações pelas autoridades alemãs têm preocupado investidores e reforçado uma pressão de venda em torno da criptomoeda.

O bilionário Justin Sun, criador do blockchain Tron, chegou a publicar no X, antigo Twitter, que se oferecia para comprar as unidades para evitar possíveis impactos no mercado com a venda.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:AlemanhaBitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Worldcoin, projeto de Sam Altman, nega acusações de insider trading de criptomoeda própria

Donald Trump vai cobrar R$ 300 mil por fotos em evento sobre bitcoin

Drex: Campos Neto diz que soluções para problemas estão 'muito perto' e prevê 'boas notícias'

Análise: criptomoedas são destaque em ambiente macroeconômico desafiador

Mais na Exame