Gestora cripto brasileira responsável por HASH11 desembarca nos EUA com ETF de futuros de bitcoin

Hashdex Bitcoin Futures foi aprovado pela SEC com base na Lei dos Valores Mobiliários e será gerenciado pela Victory Capital
ETFs de futuros de bitcoin foram aprovados pela SEC nos EUA em 2021 (24K-Production/Getty Images)
ETFs de futuros de bitcoin foram aprovados pela SEC nos EUA em 2021 (24K-Production/Getty Images)
C
Cointelegraph BrasilPublicado em 16/09/2022 às 14:54.

A brasileira Hashdex, gestora de produtos lastreados em criptomoedas, anunciou esta semana o lançamento nos Estados Unidos de um Exchange Trades Fund (ETF), fundo negociado em bolsa, baseado em futuros de bitcoin na bolsa de Nova York (NYSE), produto desenvolvido em parceria com a provedora de fundos negociados em bolsa com foco em commodities Teucrium Trading e a gestora Victory Capital, responsável pela custódia de US$ 167 bilhões em ativos globais.

Trata-se do Hashdex Bitcoin Future ETH (ticker DEFI), primeiro ETF aprovado pela Securities and Exchange Commission (SEC), a comissão de valores mobiliários dos EUA, com base no Securities Act de 1933, a Lei de Valores Mobiliários dos EUA, criada após o crash da bolsa em 1929 com objetivo de proteger os investidores contra ativos fraudulentos. Isso porque a legislação autoriza a criação de fundos que aplicam em ativos que não sejam valores mobiliários, que é o caso do bitcoin.

(Mynt/Divulgação)

“Esse lançamento mostra nosso compromisso em trazer produtos e serviços com exposição em ativos digitais regulados com segurança e inovação. É um marco significativo que atende as necessidades específicas dos investidores individuais e institucionais dos Estados Unidos e do mundo”, disse o cofundador e CEO da Hashdex, Marcelo Sampaio.

Consultora de criptoativos, a Hashdex será responsável pelas pesquisas e análises dos mercados do Bitcoin e do próprio bitcoin para utilização nas operações do DEFI.

“Estamos entusiasmados em nos juntar aos melhores fornecedores da categoria, Teucrium e Victory Capital, para apresentar produto pioneiro, especialmente agora, num momento em que investidores atenciosos estão aproveitando a baixa do mercado, que apresenta, em tese, um menor grau de tracking error em relação a outras ofertas. Além disso, tem um tratamento tributário diferente dos ETFs futuros de bitcoin '40 Act – o que pode ser interessante para vários investidores que procuram a classe de ativos”, disse o Head da Hashdex nos Estados Unidos, Bruno Sousa.

Por sua vez, Mannik Dhillon, presidente da VictoryShares and Solutions for Victory Capital, que é a gestora do ETF, declarou que:

“Estamos empolgados em continuar trabalhando com a Hashdex como parte de nossa missão compartilhada de fornecer novas soluções para uma classe de ativos relativamente nova para investidores dos EUA.”

Na última semana, a Hasdex lançou produtos na França, Holanda e Alemanha. Em parceria com a Nasdaq, a gestora brasileira desenvolveu ainda o Nasdaq Crypto Index, índice benchmark do mercado de cripto para investimento institucional, e listou o primeiro ETF de criptomoedas do mundo, o Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF, na bolsa de Bermudas.

A Hashdex e a Nasdaq também se juntaram para o desenvolvimento do Nasdaq Crypto Index EuropeTM (NCIETM), índice projetado para medir o desempenho do mercado geral de ativos digitais, refletindo os padrões de listagem em determinadas bolsas europeias, que antecedeu o lançamento do Hashdex Nasdaq Crypto Index Europe ETP, que rastreia o NCIETM.

No Brasil, a Hashdex lidera os ETFs listados na B3, que incluem o HASH11 e o DEFI11, primeiro ETF financeiro descentralizado do mundo, que oferece aos investidores exposição regulamentada a todo o ecossistema de finanças descentralizadas (DeFi), exceto Bitcoin. No final de agosto, a Hashdex e o BTG Pactual se associaram para o lançamento do HASH11 no Chile.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok