‘Mercado de criptoativos está amadurecendo’, diz analista do Goldman Sachs

Especialista do banco diz que mercado está amadurecendo e atraindo investidores institucionais, o que "pode resolver problemas como a alta volatilidade"

Jeff Currie, analista do banco Goldman Sachs, disse em entrevista à CNBC, nesta terça-feira (12), que acredita que o mercado de criptoativos está amadurecendo e atraindo investidores institucionais, mas ainda sofre com a falta de “smart money”.

O termo é utilizado no setor financeiro para designar aqueles investidores que levam mais do que dinheiro nos aportes, mas que também ajudam o ativo a se desenvolver. Segundo Currie, é esse tipo de investidor que pode fazer do bitcoin um ativo menos volátil.

“Acho que o mercado está começando a se tornar mais maduro. A volatilidade e os riscos associados a esse mercado são comuns em ativos muito recentes. A chave para criar estabilidade no mercado é o aumento da participação de investidores institucionais, e por enquanto o número ainda é pequeno […], eles representam cerca de 1% do total”, disse.

A afirmação final de Currie é questionada no universo de criptoativos, tendo em vista que, ao longo de 2020, gigantes de pagamentos digitais como Paypal e Square anunciaram entrada no mercado, levando os criptoativos às suas centenas de milhões de usuários, e empresas como a desenvolvedora de software MicroStrategy, fundos bilionários como OneRiver, MassMutual e SkyBridge, e grandes investidores como Paul Tudor Jones e Stanley Druckenmiller anunciaram que colocaram parte do seu capital em bitcoin. Apenas o fundo de bitcoin da Grayscale, o GBTC, que é voltado para investidores institucionais, possui 3% de todos os bitcoins em circulação.

Apesar disso, a mudança de tom do Goldman Sachs sobre os criptoativos de maneira geral nos últimos meses é visível. Recentemente, a empresa contratou especialistas em moedas digitais e também emitiu orientações e análises sobre a coexistência pacífica de bitcoin e ouro como refúgios contra crises econômicas, inflação e desvalorização de moedas nacionais.

No curso “Decifrando as Criptomoedas” da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. O especialista usa como exemplo o jogo Monopoly para mostrar quem são as empresas que estão atentas a essa tecnologia, além de ensinar como comprar criptoativos. Confira.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.