Ex-conselheiro de Trump, Carl Icahn quer comprar US$1,5 bi em criptomoedas

Bilionário diz que está estudando entrada no setor de criptoativos e diz que crítica sobre ausência de valor intrínseco é 'equivocada'
 (Bloomberg/Getty Images)
(Bloomberg/Getty Images)
G
Gabriel RubinsteinnPublicado em 27/05/2021 às 11:12.

O bilionário Carl Icahn, ex-conselheiro de Donald Trump e dono de uma fortuna de mais de 15 bilhões de dólares, disse em entrevista à Bloomberg que está interessado em entrar para o mercado de criptomoedas e que pode investir mais de 1 bilhão de dólares no setor.

Icahn, afirmou que ainda não tem nenhuma criptomoeda, mas que está "estudando muito sobre bitcoin, Ethereum e o setor de criptoativos como um todo, para determinar onde estão as melhores oportunidades". Segundo investidor, as críticas sobre criptomoedas não terem valor intrínseco "estão equivocadas". "Bom, e qual o valor intrínseco do dólar? O único valor do dólar é que você pode usá-lo para pagar impostos", disse.

Ele também afirmou acreditar que as pessoas estejam procurando investimentos alternativos porque parte do mercado de ações está sendo negoaciado a "preços ridículos", citando não apenas as ações que são alvo de mutirões de investidores, como aconteceu com a GameStop, mas também as estratégias oferecidas por gestores e consultores financeiros.

A posição de Icahn aponta uma mudança significativa em relação ao que ele pensava até alguns anos atrás sobre o mercado de criptoativos. Em 2018, ele disse à CNBC que criptoativos eram "ridículos" e afirmou que talvez fosse "muito velho para eles" e que "não tocaria nessas coisas".

Desta vez, Icahn explicou que considera fazer um grande investimento no setor e que não pretende entrar no mercado "para comprar algumas moedas ou algo do tipo": "Um caminho para nós seria um bilhão de dólares, um bilhão e meio de dólares... Não vou dizer exatamente".

Questionado sobre quais ativos digitais ele está de olho, o bilionário manteve o suspense: “Grande parte das criptomoedas emitidas atualmente não vai sobreviver, mas acredito que o mercado veio para ficar. Para ser claro, ainda não compramos nenhuma criptomoeda, mas estamos estudando”.

Carl Icahn é fundador da Icahn Enterprises, um conglomerado norte-americano de 15 bilhões de dólares com investimentos na CVR, Pep Boys e Trump Entertainment Resorts, entre outras. O investidor agora se junta a outros grandes nomes de Wall Street que anunciaram participação ou interesse no setor de criptoativos, como Stanley Druckenmiller, Bill Miller e Ray Dalio - este último anunciou recentemente que já possui bitcoin em sua carteira de investimentos.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o seu funcionamento. Confira.