Citi: bitcoin está perto de 'transformação massiva' e pode se tornar moeda global

Relatório diz que bitcoin deixou de ser 'aspirante a ativo de investimento' e que, apesar dos obstáculos, criptomoeda pode estar no início de uma adoção massiva

O Citi GPS, braço de inovação do Citigroup, divulgou relatório nesta segunda-feira, 1, em que afirma que o bitcoin deixou para trás o passado em que era visto como um "aspirante a ativo de investimento" e pode estar perto de um movimento de adoção massiva. O texto também diz que a criptomoeda ultrapassou a barreira do varejo, tornando-se atrativo para investidores institucionais em busca de proteção contra a inflção.

"Em busca de rendimento e ativos alternativos, os investidores são atraídos pelas características de proteção contra a inflação do bitcoin e seu reconhecido papel de "ouro digital", devido ao seu suprimento finito. Aprimoramentos específicos para serviços de câmbio, comércio, dados e custódia estão aumentando e sendo renovados para acomodar as necessidades dos investidores institucionais", diz o relatório do Citi.

A instituição financeira explica que seu primeiro relatório sobre o tema foi publicado em 2014, quando o bitcoin tinha valor de mercado de apenas 6,2 bilhões de dólares — a criptomoeda chegou a 1 trilhão em fevereiro — e que, apesar de interessante para gerações mais novas, "era considerado muito arriscado e volátil", o que afastava investidores institucionais, e que muita coisa mudou desde então.

"Outra coisa que aprendemos com os relatórios do Citi GPS sobre inovações disruptivas é que o tempo necessária para adoção massiva global de novos produtos caiu dramaticamente. Foram 50 anos até o telefone chegar a 50 milhões de usuários. 22 anos para a televisão, sete anos para a Internet e apenas 19 dias para o Pomémon Go. Então, não é uma surpresa que o bitcoin tenha crescido extraordinariamente nos últimos sete anos".

O relatório ainda observa as vantagens do uso bitcoin para pagamentos globais, "inclusive seu design descentralizado, a ausência de exposição em moeda estrangeira, movimentações financeiras rápidas (e potencialmente mais baratas), canais de pagamento seguros e rastreabilidade". Segundo o documento, "esses atributos, combinados com o alcance global e a neutralidade do bitcoin, podem estimulá-lo a se tornar a moeda de escolha para o comércio internacional".

No texto, o Citi também afirma que existe uma série de riscos e obstáculos que podem impedir o progresso do bitcoin, mas que "comparar esses possíveis obstáculos com as oportunidades, leva à conclusão de que o bitcoin está em um ponto de inflexão e poderíamos estar no início de uma transformação massiva da criptomoeda no mainstream".

“O fato de que esse progresso ocorreu em pouco mais de uma década torna o bitcoin notável, independentemente de seu futuro”, conclui o relatório.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. Confira.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.