Apps de cripto lideram em engajamento na América Latina

Os aplicativos de finanças viram crescimento de 62% e lideram na média do tempo de utilização, afirma pesquisa feita pela Adjust, plataforma mundial de análise para mercado mobile
De acordo com a Adjust, a América do Norte liderou o crescimento global de Apps com 69%, seguida pela América Latina (Pixabay/Divulgação)
De acordo com a Adjust, a América do Norte liderou o crescimento global de Apps com 69%, seguida pela América Latina (Pixabay/Divulgação)
Por Cointelegraph BrasilPublicado em 11/05/2022 09:30 | Última atualização em 10/05/2022 19:00Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Apesar de ainda representarem uma fatia média mundial de 2% do total de aplicativos relacionados a finanças, as criptomoedas lideram o ranking quando o assunto é o engajamento de seus usuários nas plataformas de negociação. É o que revela um estudo da plataforma mundial de análise para mercado mobile Adjust. Segundo a empresa, a América Latina registrou um crescimento de 62% na instalação de Apps ligados às finanças em 2021 no comparativo com 2020, período em que o crescimento mundial foi de 34%. Já a média por sessão em Apps de criptomoedas saltou de 8,05 minutos para 15,44 no mesmo período, o que representa quase o dobro da média dos App de fintechs, de 7,36 minutos.

(Mynt/Divulgação)

De acordo com a Adjust, a América do Norte liderou o crescimento global de Apps com 69%, seguida pela América Latina, com 62%. Dentro dos aplicativos de finanças, o setor de pagamentos liderou os downloads com 57%, enquanto os bancos registraram a segunda colocação com 34%. Negociações de ações e criptomoedas ficaram com 7% e 2% respectivamente, do total de todas as instalações.

Em relação às sessões dos Apps, ou seja, o período em que os aplicativos permaneceram logados, a taxa anual global registrou um crescimento de 53%. Porém, este crescimento foi de 128% na América Latina e de 111% na América do Norte entre o final de de 2020 e o mesmo período de 2021.

Quando o assunto é a distribuição total das sessões entre os Apps, os bancos ocupam o primeiro lugar com 46% do tempo, seguidos pelos pagamentos, com 31%, e pelas negociações de ações e criptomoedas, respectivamente com 17% e 6%.

O levantamento também apontou um aumento do número médio de sessões diárias em Apps de negociações de criptomoedas entre 2020 e 2021, período em que os aplicativos de finanças registraram ligeira redução, de 1,76 para 1,74. No caso dos Apps cripto, a média que variou entre 3,31 e 3,36 no final de 2021.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok