ESG
Acompanhe:
Apresentado por UNIPAR

Unipar amplia atuação para melhorar a qualidade da água em São Paulo

Novos serviços estão alinhados à diretriz de sustentabilidade da petroquímica, que definiu o desenvolvimento humano e o saneamento como pilares para os próximos dez anos

Implantação de duto captor acoplado ao domo das carretas para conexão/desconexão segura (ligado ao EPC). (Unipar/Divulgação)

Implantação de duto captor acoplado ao domo das carretas para conexão/desconexão segura (ligado ao EPC). (Unipar/Divulgação)

e
exame.solutions

Publicado em 28 de novembro de 2022, 12h00.

Última atualização em 29 de novembro de 2022, 15h23.

O Brasil ainda tem cerca de 100 milhões de pessoas sem acesso à coleta de esgoto, quase 35 milhões sem água tratada e 5 milhões sem banheiro em casa. Esses números contribuíram para pelo menos 167.000 internações em hospitais da rede pública em 2020, causadas por males com gastroenterite, hepatite A, cólera e outras doenças de veiculação hídrica.

Para mudar esse cenário, a lei prevê a universalização dos serviços de saneamento básico até 2033. Esse é o prazo estipulado pelo Marco Legal do Saneamento para aumentar o abastecimento com água tratada dos atuais 84% para 99% da população. Quanto ao esgoto, está prevista a expansão dos atuais 55% para 90% na coleta e de 51% para também 90% no tratamento dos dejetos.

Mas, para sair do papel, o plano exige grande dose de esforço do poder público e privado. Entre as empresas empenhadas para que as metas sejam alcançadas está a Unipar, líder na produção de cloro e soda e a segunda maior produtora de PVC da América do Sul.

Neste ano, a empresa passou a realizar um procedimento essencial para a qualidade da água de São Paulo: a manutenção preventiva dos equipamentos das estações de tratamento da Sabesp. Até agora o serviço já foi realizado em quatro estações do estado.

A nova atividade amplia o escopo da atuação da petroquímica, já há 20 anos fornecedora de produtos utilizados no tratamento da água fornecida pela companhia de saneamento paulista, como cloro e hipoclorito de sódio.

“Estamos unindo o conhecimento da Unipar sobre o produto e sua aplicação segura com o conhecimento da Sabesp no tratamento de água para fornecimento à população, serviço essencial para a manutenção da qualidade de vida das pessoas”, diz Rogério Costa, diretor de negócios químicos da Unipar.

Equipamento de proteção coletiva (“ lavador de gás”) (Unipar/Divulgação)

Saneamento básico: um acesso ao essencial

Ele esclarece que os novos serviços estão alinhados à diretriz de sustentabilidade da petroquímica, que definiu o desenvolvimento humano e o saneamento como pilares de atuação da companhia para os próximos dez anos. “Entendemos que o saneamento básico é essencial e vamos continuar investindo em capacidade, inovação e relacionamento com os clientes visando o crescimento sustentável.”

Outra inovação implantada pela petroquímica para o novo negócio com a Sabesp foi na logística, com a adoção da entrega fracionada, em escala menor, do hipoclorito de sódio. “Com a estratégia, atendemos à demanda pontual do produto, garantindo a qualidade do produto entregue, o fornecimento em estações de menor porte e em localidades mais distantes”, afirma Costa, da Unipar.

A empresa também atuou na prevenção da covid-19 e demais doenças de veiculação hídrica fora das estações de tratamento, com a distribuição de 400.000 sabonetes para comunidades carentes paulistas, das cidades de São Paulo, Cubatão e Rio Grande da Serra. Houve ainda a distribuição de 200 toneladas de hipoclorito de sódio – matéria-prima usada na produção de mais de 1,2 milhão de litros de água sanitária para a desinfecção de ruas, avenidas, calçadas, unidades de saúde e moradias nos três municípios.