Os planos do Grupo Boticário para inclusão e sustentabilidade

Em busca da equidade de gênero, por exemplo, são 180 dias para as mães e 120 dias obrigatórios de licença para os pais. No segundo semestre do ano passado, 519 pessoas usaram a licença no Grupo Boticário
 (Konstantin Tsevelev/Getty Images)
(Konstantin Tsevelev/Getty Images)
M
Marina FilippePublicado em 23/06/2022 às 20:31.

O Grupo Boticário, de cosméticos, reforçou em 2021 as práticas ESG ao anunciar 16 compromissos socioambientais para serem cumpridos até 2030. Entre eles está mapear e solucionar 150% de todo o resíduo sólido gerado pela cadeia e neutralizar o impacto ambiental focando temas como água, gases de efeito estufa e energia (para isso, irá além dos resíduos de sua própria cadeia).

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui

Para atingir o objetivo, são realizadas ações como o uso de energia 100% proveniente de fontes renováveis nas fábricas e nos centros de distribuição, além de programas como o Boti Recicla, com 4.000 pontos de coleta de embalagens pós-consumo de cosméticos e de higiene pessoal de todas as marcas do mercado entregues pelos consumidores.

“ESG não é uma agenda nova na companhia, e sim um trabalho contínuo para sermos cada vez mais sustentáveis por meio de um plano estratégico”, diz Fabiana de Freitas, vice-presidente jurídico, compliance e assuntos institucionais.

Em 2022, somente no Paraná, serão destinados cerca de 14 milhões de reais para a gestão sustentável dos recursos hídricos da fábrica. Atualmente, 22% dos recursos hídricos utilizados são de água de reúso, e a meta é chegar a 50% até 2023, zerando assim o balanço hídrico industrial.

De acordo com Freitas, as metas são relacionadas à remuneração variável dos executivos. Outro ponto importante nos compromissos do Grupo Boticário é a gestão de pessoas e ação social. Há cinco grupos de trabalho de diversidade e inclusão com cerca de 300 funcionários participantes em cada um.

Em busca da equidade de gênero, por exemplo, são 180 dias para as mães e 120 dias obrigatórios de licença para os pais. No segundo semestre do ano passado, 519 pessoas usaram a licença. “Essa é uma medida obrigatória para os pais e necessária para que todos entendam a importância desse período em família, e com um reflexo seguro no ambiente de trabalho”, diz Freitas. Para fora de casa, na frente social, há a meta de reduzir a desigualdade, transformando a vida de 1 milhão de pessoas.

Para tanto, há ações como o programa Empreendedoras da Beleza, que já profissionalizou 5.000 mulheres; o projeto Bazar Gerando Falcões, com lojas sustentáveis de plástico reciclado; e o Polo do Vidro, com projeto piloto em Carapicuíba, São Paulo, que busca ressignificar a importância do vidro no processo de reciclagem, remunerando de forma justa os trabalhadores dessa cadeia.