B.O.B cresce e quer lançar mais itens de higiene e beleza sem uso plástico

Startup recebeu aporte Grupo GHT4 e, agora, busca expandir a linha de produtos sustentáveis, que levam pouca água e não usam plástico na embalagem
 (B.O.B/Divulgação)
(B.O.B/Divulgação)
M
Marina Filippe

Publicado em 22/03/2022 às 07:00.

Última atualização em 22/03/2022 às 17:15.

Após anos trabalhando em grandes companhias, os amigos de infância Andreia Quercia e Victor Falzoni decidiram empreender em algo que fosse sustentável e com propósito. Ao investigar modelos de negócios no Brasil e em outros países, decidiram pela fundação da startup de higiene e beleza B.O.B (Bars Over Bottles, ou Barras ao invés de Garrafas em tradução livre), com a missão de ser zero plástico e ter o menor uso de água possível. A empresa nasceu em 2019, com investimento próprio.

"Nossa ideia era criar uma marca que reduzisse o impacto ambiental. Vimos o quanto de lixo o varejo e a indústria geram, e não queríamos algo parecido. Além disso, em média, 80% do volume do xampu líquido é água consumida na cadeia de suprimentos", diz Falzoni.

Segundo o executivo, a partir do entendimento do produto que seria desenvolvido, foi preciso estudar o mercado por cerca de dois anos, contratar uma pessoa especialista em química e desenvolver fórmulas para xampu e condicionadores em barras. "O desafio era pegar algo artesanal e desenvolver em escala industrial. Paramos quatro vezes em 2020 pelo desafio de ter insumos e manter a linha de pé", diz Quercia.

Os executivos entenderam ainda mais o que buscar e onde fazer, tendo uma fábrica parceira e um galpão terceirizado onde as pessoas trabalham a partir do desenvolvimento da B.O.B. "A receita, formulação e método é nosso".

Entre os processos, os parceiros seguem à risca o não uso de plástico, adaptando processso logísticos e escolhendo, por exemplo, o algodão semi cru como insumo. Assim, segundo cálculos dos executivos, em dois anos de empresa, já foi compensado o uso de 2,5 milhões de garrafas plásticas.

Além disso, as mídias sociais foram essenciais para tornar a marca relevante ao público -- majoritariamente feminino, que vive nas grandes capitais, e tem entre 25 e 35 anos. Antes mesmo de lançar o primeiro produto, a B.O.B já alimentava um canal no Instagram com conteúdo sobre a importância da sustentabilidade nas escolhas de compra.

"Começamos o perfil um ano antes de ter o produto, e quando o lançamento já tinhamos 30 mil seguidores. O público aceitou bem a novidade após acompanhar a narrativa sobre poluição plástica e sustentabilidade, o que validou a demanda e aprimorou o conceito", diz Falzoni.

Com o resultado, em fevereiro, a B.O.B recebeu um aporte de valor não revelado do Grupo GHT4, um Multi Family Office fundado pelos empreendedores Caio David, Guga Valente, Laércio Cosentino e Rodrigo Vella.

Com 55 funcionários, a B.O.B hoje tem tíquete médio de 100 reais e fatura cerca de 25 milhões de reais. Para 2022, o plano é continuar crescendo ao expandir a base de clientes, bem como a linha de produtos, adicionando itens de cuidados para a pele, como hidratantes em barra, e cuidados íntimos.

"Vemos as marcas tradicionais perdendo mercado para as novas, independentes, e que tem um propósito sustentável. Fazemos parte deste segundo tipo de empresa e temos uma grande oportunidade de crescer conforme os consumidores aumentam sua consciência", afirma Quércia.