Esfera Brasil

Um conteúdo Esfera Brasil

Museu das Amazônias terá US$ 800 mil do Banco de Desenvolvimento da América Latina e Caribe

Acordo de cooperação internacional inclui programas de investigação, inovação e desenvolvimento tecnológico

Museu será implementado no galpão 4A do Porto Futuro II, com inauguração prevista para outubro de 2025 (Getty Images)

Museu será implementado no galpão 4A do Porto Futuro II, com inauguração prevista para outubro de 2025 (Getty Images)

Esfera Brasil
Esfera Brasil

Plataforma de conteúdo

Publicado em 21 de junho de 2024 às 13h42.

O Banco de Desenvolvimento da América Latina e Caribe (CAF) aprovou que sejam destinados US$ 800 mil para a criação do Museu das Amazônias, que será erguido em Belém, no Pará, e já é considerado um dos legados a serem deixados pela 30ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP30), que será realizada em novembro do ano que vem na capital paraense.

A iniciativa tem o suporte técnico do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e o anúncio da destinação dos recursos ocorreu em cerimônia na sede da instituição, no Rio de Janeiro. A solenidade contou com a participação do presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, e do governador do Pará, Helder Barbalho, de maneira virtual, na semana passada, além de representantes da diretoria do CAF.

O acordo de cooperação internacional inclui programas de investigação, inovação e desenvolvimento tecnológico. Também estão previstos planos de capacitação para docentes, educadores e investigadores, com foco na troca de experiências.

“Com esses recursos iniciais, faremos essa iniciativa decolar, com o apoio do BNDES, em seu papel de articulador de parceiros que viabilizem a construção desse valioso bem cultural brasileiro”, afirmou o presidente-executivo do CAF, Sergio Díaz-Granados.

Para cumprir o propósito de ser um espaço destinado à riqueza histórica e à biodiversidade da floresta, o projeto também terá o tradicional Museu Goeldi, vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, como parceiro. A instituição será responsável pela articulação com centros de pesquisa e produção científica em outros países cujo território também é compartilhado pela floresta amazônica, como Bolívia, Peru e Colômbia.

“Agradeço mais uma vez a parceria e celebro este momento tão importante para a cultura do povo paraense e da Pan Amazônia, que contribui para o processo educativo e pedagógico de nossos visitantes e para construção de uma Amazônia cada vez mais sustentável, inovadora, resiliente e justa para todos e todas”, disse o governador do Pará, Helder Barbalho, em vídeo transmitido na cerimônia ocorrida na sede do BNDES.

O Museu das Amazônias será implementado no galpão 4A do Porto Futuro II. A inauguração está prevista para outubro de 2025.

Acompanhe tudo sobre:BNDESCOP30

Mais de Esfera Brasil

Incentivos à indústria farmacêutica alcançam maior patamar em quase 30 anos

Educação financeira é alternativa para combater superendividamento

Projeto dá preferência a carros movidos a biocombustíveis e hidrogênio verde em compras públicas

Além do carbono: rumo à natureza positiva

Mais na Exame