EXAME Agro

Apoio:

Logo TIM__313x500

BNDES anuncia R$ 160 milhões para empresa de transporte hidroviário de grãos no Pará

Atualmente, transporte de grãos na região é realizado por cerca de 280 km de estradas simples, incluindo travessias em balsa e trechos urbanos

César H. S. Rezende
César H. S. Rezende

Repórter de agro e macroeconomia

Publicado em 26 de junho de 2024 às 16h36.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quarta-feira, 26, a aprovação de um financiamento de R$ 128 milhões do programa Fundo Clima para a Transdourada Navegação Ltda, sediada em Ananindeua (PA), visando investimentos no transporte hidroviário de grãos no Pará – o valor se soma a R$ 32 milhões da linha BNDES Finame, totalizando R$ 160 milhões destinados ao projeto, que busca melhorar o escoamento da produção agrícola na macrorregião de Paragominas.

O empreendimento é um projeto logístico multimodal que integra trânsito rodoviário, transbordo rodo-fluvial, trecho fluvial e elevação de carga ao navio, atendendo tanto à exportação de granéis agrícolas quanto à importação de fertilizantes. Atualmente, o transporte de grãos na região é realizado por cerca de 280 km de estradas simples, incluindo travessias em balsa e trechos urbanos até o porto de Vila do Conde.

Parte desse percurso será substituída pelo transporte hidroviário nos rios Capim e Guamá, utilizando comboios de seis balsas graneleiras e um empurrador – o sistema terá capacidade para transportar 1,2 milhão de toneladas por ano, mais que o dobro do volume transportado pela Transdourada no ano anterior.

“Essa operação ilustra a capacidade do Fundo Clima também para potencializar o desenvolvimento de pequenos municípios, neste caso, no interior do Pará, como Paragominas e Santana do Capim”, explicou a gerente do Departamento de Transportes e Logistica da instituição, Irecê Kauss.

Segundo o banco, além das balsas graneleiras e do empurrador, o financiamento também cobrirá a aquisição de uma balsa-guindaste, sistema de fundeio, equipamentos de transbordo rodo-fluvial, píer flutuante de carregamento, transportador de correia, elevador de canecas e tombadores rodoviários, entre outros.

“Trabalhamos com o compromisso de transformar a realidade econômica e social da Amazônia, sempre buscando a geração de valor, tecnologia, segurança, responsabilidade socioambiental e qualidade em nossos projetos”, afirmou Breno R. Dias, CEO da Transdourada Navegação, empresa do Grupo Gdias.

Acompanhe tudo sobre:Transporte e logísticaLogísticaGrãosAgronegócioAgropecuáriaBNDES

Mais de EXAME Agro

Agro no franchising: como esta empresa de insumos do Mato Grosso planeja faturar R$ 120 milhões

Infiltração marítima: saiba se o fenômeno pode atingir as regiões produtoras do Brasil

Doença de Newcastle: o que se sabe até agora sobre o caso no Rio Grande do Sul

Governo de São Paulo lança linha de crédito de R$ 5 milhões para produtores afetados pela estiagem

Mais na Exame