Economia

Vendas no varejo dos EUA sobem inesperadamente em junho

As vendas no varejo subiram 0,6% no mês passado, uma vez que a demanda por bens permaneceu forte, mesmo com os gastos voltando para o setor de serviços

Preços ao consumidor nos EUA têm maior alta em 8 anos e meio (Bloomberg / Colaborador/Getty Images)

Preços ao consumidor nos EUA têm maior alta em 8 anos e meio (Bloomberg / Colaborador/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 16 de julho de 2021 às 10h14.

Última atualização em 16 de julho de 2021 às 10h31.

As vendas no varejo dos Estados Unidos subiram inesperadamente em junho, uma vez que a demanda por bens permaneceu forte, mesmo com os gastos voltando para o setor de serviços, o que aumenta as expectativas de uma aceleração do crescimento econômico no segundo trimestre.

A política vai seguir dando o tom na bolsa? Vai. E você pode aproveitar as oportunidades.  Aprenda a investir com a EXAME Academy

As vendas no varejo subiram 0,6% no mês passado, informou o Departamento do Comércio nesta sexta-feira. Os dados de maio foram revisados para baixo para mostrar que as vendas caíram 1,7%, em vez de queda de 1,3% conforme publicado anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters esperavam uma queda de 0,4% nas vendas no varejo. Mas a escassez de veículos devido a um aperto mundial na oferta de semicondutores, que vem desacelerando a produção, está prejudicando as vendas de automóveis.

A venda de alguns eletrodomésticos também foi impactada pela escassez de chips.

Entenda mais sobre indicadores econômicos. Assine a EXAME.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)ServiçosVarejoVendas

Mais de Economia

Governo Milei anuncia venda de dólares no câmbio paralelo argentino

Argentina volta a ter alta de inflação em junho; acumulado de 12 meses chega a 271,5%

Com alíquota de 26,5%, Brasil deve ter um dos maiores IVAs do mundo; veja ranking

Haddad declara ser favorável à autonomia financeira do Banco Central

Mais na Exame