Intel afirma que escassez global de chips durará mais dois anos

Na quinta-feira, 22, a Intel divulgou os resultados corporativos do primeiro trimestre
 (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)
(Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 23/04/2021 17:02 | Última atualização em 23/04/2021 17:30Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O novo presidente executivo da Intel, Pat Gelsinger, afirmou que as restrições de oferta e o "imenso" investimento necessário para atender à demanda significam que a escassez global de chips que afeta a indústria automobilística e outros setores deve durar mais dois anos.

  • Não perca as últimas tendências do mercado de tecnologia. Assine a EXAME.

Na quinta-feira, 22, a Intel divulgou os resultados corporativos do primeiro trimestre. As expectativas de vendas e lucros foram superadas, mas a companhia alertou no balanço que sua margem de lucro diminuirá este ano.

A alemã Daimler foi a mais recente montadora a alertar, nesta sexta-feira, que a persistente escassez de chips semicondutores pode afetar suas vendas no segundo trimestre.

Renault, Volvo e BMW emitiram avisos semelhantes esta semana.

A Jaguar Land Rover disse nesta quinta-feira que duas de suas fábricas britânicas serão fechadas temporariamente na próxima semana, devido a interrupções na cadeia de suprimentos relacionadas à covid-19, incluindo a falta de chips semicondutores.

Na semana passada, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, usou uma reunião com executivos do setores automobilístico e de tecnologia para defender seu plano de gastos em infraestrutura de 2,3 trilhões de dólares.

Segundo o democrata, é preciso fortalecer a indústria doméstica de produção de chips.