Vendas a prazo encerram 2014 com retração de 0,3%, diz SPC

Realização da Copa do Mundo no Brasil, com menos dias úteis, e paralisação de alguns segmentos em dias de jogos contribuíram para o desaquecimento das vendas

São Paulo - As consultas para vendas a prazo, que apontam o ritmo de atividade no comércio, caíram 0,3% em 2014 na comparação com 2013, de acordo com o indicador calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, explica que a menor expansão da renda real do brasileiro e a baixa geração de novos postos de trabalho refletiram no desempenho do varejo no ano passado.

"Os consumidores têm se deparado com índices de inflação muito próximos do teto da meta ao longo dos últimos cinco anos, o que gera recorrentes e elevadas perdas para o seu poder de compra. Além disso, com os juros em patamares elevados e com a retomada do seu ciclo de alta em novembro, aumentou o custo do parcelamento para o consumidor", afirmou a economista, em nota.

Além de uma piora na conjuntura macroeconômica, a realização da Copa do Mundo no Brasil, com menos dias úteis, e paralisação de alguns segmentos em dias de jogos também contribuíram para o desaquecimento das vendas.

"Parcela considerável de trabalhadores foi dispensada pelas empresas no meio da tarde e algumas partidas foram realizadas no sábado, que é considerado um dos dias que mais movimentam o varejo", afirmou o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

A expectativa dos economistas do SPC Brasil é que o ano comece com a atividade do comércio mais lenta, mas que haja uma recuperação nas vendas no segundo semestre.

A entidade estima que o setor feche 2015 com uma alta em torno de 0,5%.

Dezembro

Mesmo sendo um mês tradicionalmente melhor para o comércio, por conta do Natal, em dezembro o número de consultas ao banco de dados do SPC para vendas a prazo teve uma leve alta de 0,25% com o mesmo mês de 2013.

"Para recuperar as vendas perdidas, muitos lojistas já apostam nas promoções neste mês de janeiro", diz Pellizzaro Junior.

Na comparação com novembro, sem ajuste sazonal, as vendas no último mês de 2014 subiram 24,17%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também