Tarifa de energia volta a pressionar preços ao consumidor

Ao todo, cinco das oito classes ganharam força na passagem do mês

Rio - A tarifa de eletricidade residencial voltou a pressionar a inflação do varejo em maio. O item ficou 2,07% mais caro no mês passado, no âmbito do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI), informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com isso, o grupo Habitação avançou de 0,57% em abril para 0,81% em maio, a principal pressão sobre o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que acelerou a 0,72% no período.

Mas não foi apenas a energia elétrica que impulsionou os preços no varejo.

Ao todo, cinco das oito classes ganharam força na passagem do mês, entre elas Despesas Diversas (0,61% para 2,67%), Educação, Leitura e Recreação (0,14% para 0,40%), Vestuário (0,76% para 0,86%) e Transportes (0,05% para 0,09%).

Em cada uma, os destaques foram jogo lotérico (0,00% para 20,62%), salas de espetáculo (-0,75% para 2,23%), calçados (0,31% para 1,11%) e gasolina (-0,75% para -0,04%), respectivamente.

No sentido contrário, desaceleraram os grupos Alimentação (0,86% para 0,82%), Saúde e Cuidados Pessoais (1,37% para 1,21%) e Comunicação (0,07% para -0,07%).

Nestas classes de despesa, os destaques partiram dos itens frutas (0,96% para -5,86%), medicamentos em geral (3,49% para 1,92%) e tarifa de telefone residencial (-0,47% para -0,87%), respectivamente.

Apesar da alta mais intensa do IPC, o índice de difusão, que mede a proporção de itens com aumento de preços em determinado período, registrou um pequeno alívio na passagem do mês.

O índice, que ficou em 69,23% em abril, passou a 68,05% em maio.

Construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em maio, alta de 0,95%, resultado acima do observado no mês anterior (0,46%).

O movimento se deve ao custo da mão de obra, que ficou 1,18% mais caro, após elevação de 0,11% em abril.

O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços, por outro lado, desacelerou a 0,70% em maio, de 0,84% no mês anterior.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.