Produtividade agropecuária do Brasil é uma das que mais cresce

De 2006 a 2010, o rendimento do setor no país aumentou 4,28% ao ano. O estudo foi divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Estudos feitos pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos mostram que o Brasil é um dos países em que a produtividade mais cresce.

De 2006 a 2010, o rendimento da agropecuária aumentou 4,28% ao ano no Brasil, seguido pela China (3,25%), Chile (3,08%), Japão (2,86%), Argentina (2,7%), Indonésia (2,62%), Estados Unidos (1,93%) e México (1,46%).

O Brasil é um dos países em que a produtividade agropecuária mais cresce, segundo estudos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. De 2006 a 2010, o rendimento da agropecuária no país aumentou 4,28% ao ano.

Atrás do Brasil ficaram a China com 3,25%, o Chile com 3,08%, o Japão com 2,86%, a Argentina com 2,7%, a Indonésia com 2,62%, os Estados Unidos com 1,93% e o México, com rendimento de 1,46% no período.

Para o levantamento, os pesquisadores norte-americanos usaram o indicador expresso em Produtividade Total dos Fatores (PTF), que considera todos os produtos das lavouras e da pecuária e os relaciona com os insumos usados na produção.

O estudo foi publicado na foi publicado na revista científica EuroChoices agri-food and rural resource issue e divulgados hoje (12) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Para o coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola da pasta, José Garcia Gasques, os dados mostram que a agricultura brasileira tem crescido principalmente com base na produtividade.

"No Brasil, essa variável é responsável por cerca de 90% do crescimento da produção, enquanto que 10% se deve aos insumos", disse.

Segundo Gasques, por causa do aumento da produtividade, o Brasil deixou de ser país importador de alimentos e se transformou em um expressivo exportador de uma quantia diversificada de produtos agropecuários.

Entre 1975 a 2015, a taxa média de crescimento da produtividade agropecuária no Brasil foi de 3,58% ao ano.

Na década de 2000, a média foi de 4,08% ao ano.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.