Economia

Minério perde terreno com cortes da produção de aço na China

O principal insumo da siderurgia caiu pelo terceiro dia consecutivo com os esforços do governo chinês para economizar eletricidade e reduzir as emissões do setor altamente poluente, o que resulta em demanda mais fraca

China: o principal insumo da siderurgia caiu pelo terceiro dia consecutivo com os esforços do governo chinês para economizar eletricidade (Bloomberg/Bloomberg)

China: o principal insumo da siderurgia caiu pelo terceiro dia consecutivo com os esforços do governo chinês para economizar eletricidade (Bloomberg/Bloomberg)

B

Bloomberg

Publicado em 1 de setembro de 2021 às 15h44.

Última atualização em 3 de setembro de 2021 às 16h55.

Krystal Chia, da Bloomberg

Os futuros do minério de ferro ampliaram as perdas, chegando a cair até 6,4% em Singapura, em meio à desaceleração das operações de aço na China, o que encolhe a demanda pela matéria-prima.

O principal insumo da siderurgia caiu pelo terceiro dia consecutivo com os esforços do governo chinês para economizar eletricidade e reduzir as emissões do setor altamente poluente, o que resulta em demanda mais fraca. A queda do minério de ferro nos últimos dias vem na esteira de uma alta de quase 14% na semana passada, com o otimismo de que a temporada do setor de construção na China no quarto trimestre impulsionaria o consumo.

Recentes medidas para limitar a produção de aço na província de Guangxi estão sendo aplicadas, e inspeções ambientais na província de Sichuan também levaram algumas usinas a interromper as operações, disse Wang Haitao, analista da Huatai Futures. Os preços do minério de ferro podem cair ainda mais, afirmou.

Guangxi, uma importante província siderúrgica, ordenou que usinas locais reduzam a produção em 30% neste mês, disse a consultoria Mysteel, sem citar como obteve a informação. Além disso, a província chinesa de Hebei aprovou 13 projetos de minério de ferro em agosto, segundo divulgado pela Mysteel na terça-feira.

Os novos projetos podem aumentar a oferta à vista, e investidores devem ficar atentos para controles das negociações pela bolsa, disseram em relatório analistas da Ruida Futures na quarta-feira.

Em outro sinal de desaceleração do crescimento na China, a atividade fabril encolheu pela primeira vez desde abril de 2020 sob o impacto de novos surtos de covid-19, que interromperam a produção, segundo um indicador privado. A queda do índice dos gerentes de compras de manufatura medido pelo Caixin foi pior do que os dados oficiais do setor.

Em Singapura, os futuros de minério de ferro caíam 5,9%, para 143,25 dólares a tonelada, às 13h38 no horário local. Os preços do minério de ferro chinês perderam quase 5%, enquanto os futuros do aço também recuaram.

Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME

Acompanhe tudo sobre:ChinaMinério de ferroMinérios

Mais de Economia

Lula pede solução de contradições de europeus para acordo com Mercosul

Crescimento econômico da China desaponta e pressiona Xi Jinping

Prévia do PIB: IBC-Br sobe 0,25% em maio, após estabilidade em abril

Boletim Focus: mercado reduz projeção do IPCA para 2024 pela 1ª semana após nove altas consecutivas

Mais na Exame