Greenspan indica estabilidade dos juros americanos

Os Estados Unidos entraram numa fase de crescimento econômico vigoroso e, por isso, as autoridades monetárias do país podem esperar mais para aumentar a taxa básica de juros. Foi o que afirmou Alan Greenspan, presidente do Federal Reserve (Fed), o Banco Central americano, em seu discurso ao Comitê de Serviços Financeiros do Congresso, nesta quarta-feira […]
 (EXAME.com)
(EXAME.com)
D
Da RedaçãoPublicado em 09/10/2008 às 10:47.

Os Estados Unidos entraram numa fase de crescimento econômico vigoroso e, por isso, as autoridades monetárias do país podem esperar mais para aumentar a taxa básica de juros. Foi o que afirmou Alan Greenspan, presidente do Federal Reserve (Fed), o Banco Central americano, em seu discurso ao Comitê de Serviços Financeiros do Congresso, nesta quarta-feira (11/2).

Greenspan que animou os mercados financeiros ao redor do mundo com suas palavras disse que o ano de 2003 parece ter marcado a transição entre um período negro, de baixo desempenho da economia, e uma fase de crescimento robusto sustentável . Sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos é de 4,5% a 5% em 2004.

Ele ressaltou que riscos existem, como sempre, e que a maioria deles são decorrentes do déficit recorde do governo americano, estimado em 521 bilhões de dólares este ano. O alto déficit pode gerar problemas no curto prazo , afirmou. E ninguém apresentou ainda propostas concretas para sua redução.

Sobre a inflação, Greenspan acredita que os índices estão em um patamar consistente e que a estabilidade dos preços é notável se for levada em conta a depreciação do dólar em relação a outras moedas. O presidente do Fed afirmou também que a taxa de desemprego pode cair no máximo 6% antes de começar a pressionar a inflação. Esta queda fica abaixo dos 6%, diria talvez perto dos 4% , afirmou.

Veja Também