China diz que frango importado do Brasil veio com coronavírus

Autoridades chinesas divulgaram comunicado informando que encontraram o novo coronavírus em frangos vindos do Brasil

Autoridades chinesas afirmaram que o novo coronavírus foi encontrado em uma leva de frangos importados do Brasil após testes. A carga foi importada para a cidade de Shenzhen, uma das mais importantes da China.

Segundo comunicado do governo chinês nesta quarta-feira, 12, o diagnóstico foi feito por meio de testes em uma amostra retirada do lote. Por ora, funcionários que entraram em contato com a carga brasileira que já foram testados tiveram resultado negativo para a covid-19.

Os chineses afirmaram ainda que o coronavírus foi encontrado também em um lote de camarões vindos do Equador. Outras cidades haviam relatado episódios de frutos do mar importados contaminados com o novo coronavírus. O governo chinês tem aumentado esforços para rastrear esse tipo de mercadoria vinda de outros países.

O centro de prevenção e controle de epidemias da cidade de Shenzhen afirmou ainda que o público precisa ser cauteloso com carnes e frutos do mar importados.

Os produtos teriam vindo da fabricante brasileira Aurora, que, procurada, disse à EXAME que aguarda manifestação das autoridades competentes e que tem medidas rigorosas de segurança e cumpre as normas sanitárias.

Procurado, o Ministério da Agricultura respondeu em nota que acionou autoridades chinesas buscando informações que esclareçam o caso e que, até o começo da tarde desta quinta-feira, 13, não havia obtido uma resposta. O Ministério afirmou ainda que “reitera a inocuidade dos produtos produzidos nos estabelecimentos sob SIF [Serviço de Inspeção Federal], visto que obedecem protocolos rígidos para garantir a saúde pública”. (leia a nota completa no fim da página)

Relação comercial

A China é a maior parceira comercial brasileira e grande compradora de produtos do agronegócio. O país comprou no ano passado 63,4 milhões de dólares em produtos brasileiros, à frente de parceiros históricos como Estados Unidos e Argentina. As vendas para a China representaram quase um terço de tudo o que o Brasil exportou para o exterior.

A maior parte dos produtos são derivados da soja, minério de ferro, outros mineirais e petróleo. Mas a pecuária tem participação expressiva em valores. Só em carnes de aves, foram 790 milhões de dólares, ou 2% das vendas do Brasil aos chineses. Em carne bovina e suína, foram outros 2,9 bilhões de dólares, ou quase 7% das vendas brasileiras.

Coronavírus

O Brasil tem ao todo 104.263 óbitos e 3,2 milhões de casos de coronavírus, segundo boletim desta quarta-feira compilado junto às secretarias estaduais pelo consórcio da imprensa.

A China foi o primeiro epicentro da pandemia, mas conseguiu controlar o vírus nos últimos meses e vem tendo números baixos de novos contágios. Atualmente, a China tem 89.045 casos e pouco menos de 5.000 mortes contabilizadas.

Após um pico que chegou a ser de mais de 15.000 novos casos diários, o país vem registrando menos de 300 novos casos por dia. No Brasil, foram 58.000 novos casos no boletim de quarta-feira, e os números têm ficado acima de ao menos 30.000 novos casos diários.

Nota do Ministério da Agricultura

Esclarecimento sobre suposta detecção de coronavírus na China em asa de frango importada do Brasil 

Na manhã de hoje, foi publicada nota no site do município de Shenzhen, província de Guangdong, com informações da autoridade sanitária local sobre uma suposta detecção de ácido nucleico do coronavírus na superfície de uma amostra de asa de frango congelada, oriunda de um lote importado do Brasil.

Segundo a nota, outras amostras do mesmo lote foram coletadas, analisadas e os resultados foram negativos.

O Escritório de Prevenção e Controle de Epidemiologia de Shenzhen informou que todas as pessoas que manusearam ou entraram em contato com o material testaram negativo para a COVID-19.

Ainda na noite de ontem, após notícia veiculada na imprensa da província chinesa, o MAPA acionou imediatamente a Adidância Agrícola em

Pequim, que consultou a Administração Geral de Aduanas da China – GACC buscando as informações oficiais que esclareçam as circunstâncias da suposta contaminação.

Até o momento, o MAPA [Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento] não foi notificado oficialmente pelas autoridades chinesas sobre a ocorrência.

O MAPA ressalta que, segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há comprovação científica de transmissão do vírus da COVID-19 a partir de alimentos ou embalagens de alimentos congelados.

O MAPA reitera a inocuidade dos produtos produzidos nos estabelecimentos sob SIF, visto que obedecem protocolos rígidos para garantir a saúde pública.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.