Economia

Brexit é risco de baixa à estabilidade financeira do euro, diz Draghi

Draghi ainda fez uma defesa do "comércio aberto, dos investimentos e dos fluxos financeiros sustentáveis"

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi (Francois Lenoir/Reuters)

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi (Francois Lenoir/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 12 de outubro de 2018 às 10h46.

São Paulo - O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, realizou um discurso na reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) realizada em Bali, na Indonésia. Em sua fala nesta sexta-feira, Draghi traçou um cenário da economia da zona do euro, com expansão "de base ampla", apoiada por uma política monetária relaxada, repetindo projeções recentes de sua equipe. Ao mesmo tempo, Draghi notou que o processo de saída da União Europeia do Reino Unido, o Brexit, traz incertezas para o cenário.

"Uma saída ordenada do Reino Unido da União Europeia representa um risco em geral limitado para a estabilidade financeira da zona do euro", avaliou Draghi. Por outro lado, um Brexit sem acordo entre as partes teria potencial para trazer "risco de baixa mais significativo à estabilidade financeira", alertou a autoridade. Segundo ele, o BCE monitora a questão antes da data prevista para a saída, de 29 de março de 2019. "Diante da incerteza sobre o resultado das negociações e de garantir decisões legislativas e regulatórias, o setor privado é o responsável primário por fazer os arranjos adequados para se preparar para qualquer cenário", recomendou.

Draghi ainda fez uma defesa do "comércio aberto, dos investimentos e dos fluxos financeiros sustentáveis", sem tratar diretamente das tensões comerciais atuais, sobretudo entre Estados Unidos e China.

Acompanhe tudo sobre:BCEBrexitMario DraghiReino Unido

Mais de Economia

Isenções e 'imposto do pecado': entenda nova versão do projeto que regulamenta Reforma Tributária

Amazon consegue liminar para manter venda de celular irregular. Anatel diz que vai recorrer

Salário mínimo 2025: quanto será? Veja previsão

Reforma tributária: compra de imóveis e serviços de construção terão redução de 40% na alíquota

Mais na Exame