Aumento no preço de energia preocupa as distribuidoras

As distribuidoras não têm nenhum interesse em ver o consumo cair, já que suas receitas dependem efetivamente da energia que entregam

Brasília - Não são apenas os consumidores que estão preocupados com as tarifas de energia.

O presidente da Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), Nelson Leite, disse nesta quinta-feira, 26, que o forte aumento nas contas de luz preocupa o setor.

Apesar da escassez na geração elétrica, as distribuidoras não têm nenhum interesse em ver o consumo cair, já que suas receitas dependem efetivamente da energia que entregam.

Nesta tarde, Nelson Leite se reúne com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, para um "encontro institucional".

A reunião acontece para apresentar os diretores das principais distribuidoras do país.

No encontro, os empresários querem pedir o aperfeiçoamento regulatório do setor para ampliar a capacidade de investimento dessas empresas.

Nelson Leite disse que, até este momento, a ginástica financeira feita pelo governo para tentar manter o equilíbrio do setor elétrico tratou apenas dos custos regulares, nos quais as distribuidoras não aferem lucro e atuam como repassadores entre os agentes do setor - esses custos são conhecidos como a parcela A.

A preocupação com a variação de consumo está no impacto que a redução de demanda pode ter na chamada parcela B, onde se concentra a margem de lucro das distribuidoras - nela estão os custos operacionais, com pessoal e demais gastos administrados internamente pela empresa.

"Estamos resolvendo boa parte dos problemas da parcela A, mas fica um ponto de preocupação que é o desequilíbrio da parcela B, por conta da redução do consumo", disse Nelson Leite.

"A gente não sabe qual vai ser a resposta do mercado a esse aumento de preços", completou. Outro fator que preocupa as distribuidoras é um eventual aumento na inadimplência.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.