Uso obrigatório de máscaras reduz casos de covid-19 na Alemanha em 47%

O estudo comparou dados de 401 cidades alemãs que tornaram obrigatório o uso de máscaras
Alemanha: o país já registrou mais de 1,5 milhão de casos e 18.500 óbitos por covid-19 (picture alliance / Colaborador/Getty Images for National Geographic Magazine)
Alemanha: o país já registrou mais de 1,5 milhão de casos e 18.500 óbitos por covid-19 (picture alliance / Colaborador/Getty Images for National Geographic Magazine)
Por André MartinsPublicado em 07/12/2020 18:30 | Última atualização em 07/12/2020 20:33Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O número de novas infecções por covid-19 na Alemanha reduziram em 47% 20 dias após o uso de máscaras se tornar obrigatório, aponta estudo alemão divulgado pela Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America (PNAS) na quinta-feira, 3.

Os pesquisadores descobriram que o uso de máscaras diminuiu o número de novos casos entre 15% e 75% em 20 dias. As quedas mais consideráveis no número de infectados foram observadas nas maiores cidades do país. O estudo então concluiu que as máscaras reduziram a taxa de crescimento diário de infecções em cerca de 47% na Alemanha

O estudo comparou dados de 401 cidades alemãs que tornaram obrigatório o uso de máscaras em momentos diferentes. Na Alemanha, os estados impuseram a obrigatoriedade entre 20 e 29 de abril, algumas cidades já haviam decidido pela medida antes dessas datas. 

A Alemanha já registrou mais de 1,5 milhão de casos e 18.500 óbitos por covid-19.

Solução econômica

Também foi apontado pelos pesquisadores que as máscaras são uma alternativa econômica para combater a disseminação do coronavírus. “Os custos econômicos são baixos em comparação com outras medidas de saúde pública”, incluindo fechamento de restaurantes e escolas, regras de distanciamento social e quarentena.

Embora o uso de máscaras seja amplamente aceito em algumas partes do mundo, como no leste da Ásia, em outros países, pessoas permanecem céticas sobre os benefícios e os governos não tornaram o uso obrigatório.

A Organização Mundial da Saúde reforçou na quarta-feira, 2, a importância do uso de máscaras em instalações de saúde, regiões onde o número de casos está em alta e locais fechados e mal ventilados. "Se em locais fechados, a menos que a ventilação tenha sido avaliada como adequada, a OMS aconselha o público geral a usar máscaras não cirúrgicas, independentemente de se poder manter um distanciamento físico de pelo menos 1 metro", afirmou a organização. 

No Brasil, a lei que tornou obrigatório o uso de máscaras foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em 3 de julho. Na época, Bolsonaro vetou o uso obrigatório no comércio, em escolas e em igrejas. Porém o veto foi derrubado em agosto pelo Senado. O STF também decidiu em agosto que o uso de máscaras é obrigatório em locais públicos como comércio, indústria, escolas e templos.