• AALR3 R$ 19,99 -0.74
  • AAPL34 R$ 66,50 -3.36
  • ABCB4 R$ 16,77 0.06
  • ABEV3 R$ 13,91 -1.21
  • AERI3 R$ 3,68 -4.91
  • AESB3 R$ 10,68 -2.64
  • AGRO3 R$ 30,82 -0.26
  • ALPA4 R$ 20,02 -3.56
  • ALSO3 R$ 18,83 -3.29
  • ALUP11 R$ 27,04 -0.48
  • AMAR3 R$ 2,33 -5.67
  • AMBP3 R$ 30,60 -1.83
  • AMER3 R$ 23,34 -3.03
  • AMZO34 R$ 62,92 -3.94
  • ANIM3 R$ 5,25 -5.41
  • ARZZ3 R$ 78,32 -1.50
  • ASAI3 R$ 15,79 -0.50
  • AZUL4 R$ 20,94 -4.64
  • B3SA3 R$ 11,91 -1.57
  • BBAS3 R$ 37,22 -1.96
  • AALR3 R$ 19,99 -0.74
  • AAPL34 R$ 66,50 -3.36
  • ABCB4 R$ 16,77 0.06
  • ABEV3 R$ 13,91 -1.21
  • AERI3 R$ 3,68 -4.91
  • AESB3 R$ 10,68 -2.64
  • AGRO3 R$ 30,82 -0.26
  • ALPA4 R$ 20,02 -3.56
  • ALSO3 R$ 18,83 -3.29
  • ALUP11 R$ 27,04 -0.48
  • AMAR3 R$ 2,33 -5.67
  • AMBP3 R$ 30,60 -1.83
  • AMER3 R$ 23,34 -3.03
  • AMZO34 R$ 62,92 -3.94
  • ANIM3 R$ 5,25 -5.41
  • ARZZ3 R$ 78,32 -1.50
  • ASAI3 R$ 15,79 -0.50
  • AZUL4 R$ 20,94 -4.64
  • B3SA3 R$ 11,91 -1.57
  • BBAS3 R$ 37,22 -1.96
Abra sua conta no BTG

Cientistas descobrem planeta que não é uma esfera

A Agência Espacial Europeia encontrou um exoplaneta em formato de bola de rugby, deformado por conta de sua estrela hospedeira
 (Divulgação/ESA)
(Divulgação/ESA)
Por Laura PanciniPublicado em 11/01/2022 16:19 | Última atualização em 13/01/2022 12:56Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Agência Espacial Europeia anunciou nesta terça-feira, 11, que o satélite da missão Cheops identificou um exoplaneta que não é uma esfera. É a primeira vez que uma deformidade é identificada em um planeta.

O planeta, agora com o nome de WASP-103b, está localizado na constelação de Hércules. Acredita-se que ele foi deformado pelas fortes forças de maré entre o planeta e sua estrela hospedeira, WASP-103.

Na Terra, por exemplo, a Lua influencia nas marés dos oceanos, mas com muita menos força do que foi observado nos WASPs. A estrela observada é cerca de 200 graus mais quente e 1,7 vezes maior que o Sol, o que pode explicar o exoplaneta que se assemelha a uma bola desinflada.

A descoberta foi feita pelo telescópio espacial Cheops, que faz parte da missão de mesmo nome cujo objetivo é estudar estrelas próximas da Terra e seus exoplanetas.

O Telescópio Hubble e o Telescópio Espacial Spitzer da Nasa também ajudaram na construção dos dados. Os cientistas publicaram um artigo no periódico científico Astronomy & Astrophysics detalhando a descoberta.

“Se pudermos confirmar os detalhes de sua estrutura interna com observações futuras, talvez possamos entender melhor o que o torna tão inflado. Conhecer o tamanho do núcleo deste exoplaneta também será importante para entender melhor como ele se formou”, disse Susana Barros, portuguesa e principal autora da pesquisa.

A expectativa dos autores por trás da pesquisa é que o Telescópio James Webb, que acaba de ser enviado ao espaço, ajude a entender mais sobre a deformação do exoplaneta.