Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Pfizer vai testar eficácia de vacina contra nova variante da África do Sul

Expectativa é que resultados saiam em duas semanas, diz porta-voz

Um porta-voz da BioNTech, que desenvolveu em parceria com a Pfizer a vacina contra a covid-19, disse à agência de notícias AFP, nesta sexta-feira, que a fabricante está estudando urgentemente a eficácia do imunizante contra a variante B.1.1.529 detectada na África do Sul.

— Esperamos mais dados dos testes de laboratório em no máximo duas semanas. Esses dados fornecerão mais informações sobre se a B.1.1.529 pode ser uma variante que exija um ajuste de nossa vacina se a variante se espalhar globalmente — acrescentou.

A detecção dessa nova variante por cientistas sul-africanos gerou alarme global, com a preocupação de que suas numerosas mutações possam torná-la ainda mais perigosa do que a altamente contagiosa variante Delta. Se for considerada uma variante de preocupação pelo Organização Mundial da Saúde (OMS), ela deve ser chamada de Nu, a próxima letra grega - esse alfabeto é usado para nomear essas mutações.

Após o anúncio, vários países — incluindo Reino Unido, Itália e Alemanha — decidiram fechar as portas aos viajantes de vários estados do sul da África.

De acordo com a BioNTech, a variante B.1.1.529 "difere claramente das variantes já conhecidas porque tem mutações adicionais na proteína do pico".  Ainda não há, porém, confirmação científica de que a variante esteja ligada a escape vacinal nem que seja mais transmissível.

— A Pfizer e a BioNTech se prepararam há vários meses para ajustar sua vacina em menos de seis semanas e entregar as primeiras doses em 100 dias se uma variante se mostrasse resistente — enfatizou o porta-voz do laboratório.

A Pfizer é um dos quatro imunizantes usados na campanha nacional de vacinação do Brasil, junto de Coronavac, AstraZeneca e Janssen. Ainda não existem informações sobre o desempenho dessas outras marcas ante a nova cepa identificada.

Segundo a Rede para Vigilância Genômica da África do Sul, a variante já foi identificada em amostras coletadas de 12 a 20 de novembro em Gauteng, Botswana e em Hong Kong, de um viajante sul-africano. "Podemos fazer algumas previsões sobre o impacto das mutações nesta variante, mas ainda é incerto, e as vacinas continuam a ser a ferramenta crítica para nos proteger", disse a instituição.

Nesta sexta-feira, 26, o governo sul-africano fará uma sessão de urgência com a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a evolução do vírus. 

Com Agência o Globo e Estadão Conteúdo.

Quais são os maiores desafios da ciência? Descubra ao assinar a EXAME: menos de R$ 11/mês.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também