Glitter biodegradável pode ser tão prejudicial à natureza quanto o comum

Segundo pesquisadores, todos os tipos de purpurina afetam as formas de vida dos produtores primários no meio ambiente

O glitter biodegradável causa os mesmos danos ecológicos a rios e lagos que o produto comum, de acordo com um estudo da Anglia Ruskin University, em Cambrigde. A pesquisa, considerada a primeira a examinar os impactos ambientais do glitter, analisou como a forma biodegradável ou ecológica do produto afeta o meio ambiente.

A produção de glitter ecológico aumentou à medida que os consumidores são orientados a buscarem alternativas aparentemente ecológicas para o glitter feito do plástico conhecido como PET.

Uma versão do "eco glitter" tem um núcleo de celulose regenerada modificada (MRC), proveniente principalmente de árvores de eucalipto, que é revestido com alumínio e coberto com uma fina camada de plástico. Outra forma é o glitter de mica, cada vez mais utilizado em cosméticos.

A pesquisa descobriu que o brilho alternativo “biodegradável” teve vários efeitos semelhantes aos observados com o PET convencional, o que significa que eles podem estar causando os mesmos danos ecológicos a rios e lagos.

O estudo mostrou que os efeitos do glitter biodegradável no comprimento da raiz e nos níveis de clorofila eram quase idênticos aos da purpurina tradicional.

“Glitter é um microplástico pronto que é comumente encontrado em nossas casas e, principalmente por meio de cosméticos, é lavado em nossas pias e no sistema de água", afirmou a Dra. Dannielle Green, prefessora sênior de biologia na ARU, ao site britânico The Guardian.

“Nosso estudo é o primeiro a examinar os efeitos do brilho em um ambiente de água doce e descobrimos que tanto o brilho convencional quanto o alternativo podem ter um sério impacto ecológico nos ecossistemas aquáticos em um curto período de tempo.”

Ela afirmou que todos os tipos, incluindo os chamados purpurina biodegradável, tiveram um efeito negativo em importantes produtores primários que são a base da cadeia alimentar. O glitter à base de celulose “biodegradável” teve um impacto negativo adicional, pois incentivou o crescimento de uma espécie invasora, o chamado "caracol de lama" da Nova Zelândia.

“Acreditamos que esses efeitos podem ser causados ​​pelo revestimento de plástico ou de outros materiais envolvidos em sua produção”, disse ela.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.