Estudo global da Coronavac com crianças começa na África do Sul

O estudo de fase 3 avaliará a eficácia, segurança e resposta imune da Coronavac em participantes com idades entre 6 meses e 17 anos
Coronavac: a vacina provou ser menos eficaz na prevenção da infecção do que as vacinas de RNA mensageiro, como a versão da Pfizer (Dimas Ardian/Bloomberg)
Coronavac: a vacina provou ser menos eficaz na prevenção da infecção do que as vacinas de RNA mensageiro, como a versão da Pfizer (Dimas Ardian/Bloomberg)
B
BloombergPublicado em 10/09/2021 às 12:15.

Por Felix Njini e Janice Kew, da Bloomberg

A Sinovac Biotech iniciou um ensaio com sua vacina contra a covid-19 em bebês, crianças e adolescentes na África do Sul como parte de um estudo global.

O estudo de fase 3 avaliará a eficácia, segurança e resposta imune da Coronavac em participantes com idades entre 6 meses e 17 anos, totalizando 14 mil inscritos em países como Chile, Filipinas, Malásia e Quênia. Cerca de 2 mil participantes serão da África do Sul.

O imunizante usa “tecnologia convencional, semelhante ao vírus da pólio e de outras vacinas infantis”, disse Sanet Aspinall, virologista-chefe e coordenadora do estudo sul-africano, em entrevista por telefone na sexta-feira. “O perfil de segurança desta vacina em particular é extremamente bom.”

Reguladores da África do Sul aprovaram a candidata à vacina de duas doses da Sinovac em julho, com condições que incluem resultados de estudos em andamento e atualizações periódicas de segurança. Indicado para pessoas entre 18 e 59 anos, é o primeiro imunizante contra a Covid-19 desenvolvido por uma empresa chinesa a ser aprovado no mercado interno. A Organização Mundial da Saúde também autorizou a vacina para uso emergencial.

A Coronavac “pode ser uma boa vacina para crianças” porque, embora possa não ser tão eficaz quanto outras candidatas, “é bastante segura”, disse Glenda Gray, colíder de outro ensaio sul-africano que utiliza o imunizante da Johnson & Johnson em profissionais de saúde.

A Coronavac provou ser menos eficaz na prevenção da infecção do que as vacinas de RNA mensageiro, como a versão da Pfizer. Ainda assim, segundo estudo publicado na Lancet em junho, a vacina da Sinovac é segura e eficaz em crianças a partir dos 3 anos.

No início da semana, o governo chileno aprovou o uso da Coronavac em crianças a partir de 6 anos, sendo a primeira vacina aprovada para menores de 12 anos.

  • Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME e saiba mais.