Ciência

Cientistas encontram "Super-Terra" – e ela pode ser habitada

Planeta, que orbita estrela a cem anos-luz da Terra, recebe luz solar em níveis favoráveis à vida e pode ter água em sua superfície; físicos comemoram descoberta

A Terra vista do espaço: cientistas descobrem planeta que pode abrigar vida (Getty Images/Getty Images)

A Terra vista do espaço: cientistas descobrem planeta que pode abrigar vida (Getty Images/Getty Images)

CA

Carla Aranha

Publicado em 11 de setembro de 2022 às 16h08.

Um time de cientistas anunciou a descoberta de dois planetas, com características similares à Terra, embora sejam bem maiores. E um deles pode apresentar condições propícias ao desenvolvimento de formas de vida. Ambos orbitam a estrela anã LP890-9, a cem anos-luz da Terra. Os corpos celestes foram localizados pela Nasa e a Universidade de Liège, na Bélgica, por meio dos telescópios Search for habitable Planets EClipsing ULtra-cOOl Stars (SPECULLOS), instalados no Chile e no arquipélago de Tenerife, na Espanha. A liderança da missão coube à astrofísica Laetitia Delrez, da Universidade de Liège.

O primeiro planeta encontrado não revelou muitas surpresas. O segundo, no entanto, intrigou os cientistas. O LP 890-9c ou SPECULOOS-2c, com uma órbita de 8,5 dias ao redor da estrela anã, se encontra um zona potencialmente habitável. Sua órbita permite que ele receba uma quantidade de radiação solar parecida com a da Terra. E pode haver água em sua superfície

"Embora este planeta orbite muito próximo de sua estrela, a uma distância cerca de 10 vezes menor que a de Mercúrio ao redor do nosso Sol, a quantidade de irradiação estelar que ele recebe ainda é baixa e pode permitir a presença de água líquida desde que tenha uma atmosfera suficiente para isso", explicou Francisco Pozuelos, co-autor do estudo.

O próximo passo é estudar a atmosfera do planeta. A ideia é estabelecer se ele pode de fato ser favorável a alguma forma de vida, como se acredita. Até agora, o LP 890-9c é um dos candidatos mais fortes a apresentar condições para isso. A descoberta tem sido comemorada pelos cientistas. "Trata-se de uma oportunidade única para entender melhor as condições de habitabilidade em torno das estrelas menores e mais frias de nossa vizinhança solar", disse Laetitia Delrez.

E esse não foi o único achado importante recente. Há algumas semanas, os cientistas localizaram outra "super-Terra", chamada de TOI-1452 b, que orbita uma estrela anã vermelha também a cerca de 100 anos-luz da Terra -- algo considerado "bastante perto". Os planetas descobertos vêm sendo estudados incessantemente pelos astrofísicos.

Veja também:

 

Acompanhe tudo sobre:EspaçoNasaPlaneta Terra

Mais de Ciência

Ozempic reduz risco de morte para pessoas com diabetes, revela estudo

Einstein estava certo sobre a gravidade em buracos negros, diz estudo

'Saquinho' de nicotina ganha adeptos para perda de peso

Usuários do Wegovy mantêm perda de peso por quatro anos, diz Novo Nordisk

Mais na Exame