Buraco negro gigante está se movendo misteriosamente pelo espaço

Movimentos simultâneos do buraco negro supermassivo confundem e animam astrônomos; entenda
 (Getty Images/Getty Images)
(Getty Images/Getty Images)
L
Laura Pancini

Publicado em 15/03/2021 às 11:26.

Última atualização em 15/03/2021 às 11:31.

Uma equipe de astrônomos achou evidências de algo incomum: um buraco negro supermassivo que está se movimentando dentro de sua própria galáxia.

A descoberta não foi fácil. Achar um buraco negro supermassivo em movimento, que está a milhões ou bilhões de anos-luz de distância, entre milhares de galáxias, é certamente um desafio. Porém, a equipe do astrônomo Dominic Pesce, do Centro de Astrofísica Harvard & Smithsonian, apostou na sorte com um tipo de núcleo galáctico com o nome de megamaser.

O megamaser é um buraco negro supermassivo ativo, com um disco contendo gás e poeira sendo sugado para dentro dele e gerando grandes quantidades de luz e calor. Outras moléculas dentro do fenômeno amplificam a luminosidade em comprimentos de onda de microondas e, através de uma técnica chamada interferometria, a velocidade do megamaser pode ser medida com precisão.

Partindo desta análise, os astrônomos observaram 10 megamasers e compararam suas velocidades. Enquanto 9 mostraram um comportamento esperado, a galáxia espiral J0437 + 2456, localizada a cerca de 228 milhões de anos-luz de distância, foi diferente.

O buraco negro supermassivo desta galáxia tem cerca de 3 milhões de vezes a massa do Sol e foi observado se movendo a uma velocidade significativa, diferente do restante da galáxia. Ele anda numa velocidade de 4.810 quilômetros por segundo, enquanto o hidrogênio neutro dentro da sua galáxia recua a uma velocidade de 4.910 quilômetros por segundo e sua região interna anda a 4.860.

Estes números confundem até os próprios astrônomos que realizaram a pesquisa publicada no The Astrophysical Journal. Existem inúmeras explicações para entender tudo que está se mexendo dentro da galáxia espiral J0437 + 2456.

A primeira possibilidade é que dois buracos negros supermassivos podem estar colidindo um com o outro, gerando um recuo que empurrou um deles para fora da posição antiga. Os números oscilando podem ser a galáxia e o buraco tentando voltar ao normal.

Outra sugestão dos astrônomos é que o buraco negro tenha um companheiro binário invisível, e os dois orbitam um centro de gravidade mútuo dentro do núcleo galáctico. "O que poderíamos estar vendo na galáxia J0437 + 2456 é um dos buracos negros com outro que permanece oculto nas nossas observações de rádio por causa de sua falta de emissão de radiação", explica Pesce.

Qualquer uma das possibilidades é considerada uma notícia incrível para astrofísicos entenderem mais a fundo os mistérios dos buracos negros supermassivos. Uma possível fusão pode ajudar a responder perguntas sobre como eles ficam tão grandes e o que essa combinação pode causar.

A equipe irá observar o buraco negro supermassivo para descobrir o motivo de sua movimentação pela galáxia.