Por que Rihanna quer incluir homens plus size no mundo da moda

Ainda que as modelos mulheres plus size já tenham conquistado algum espaço, o mesmo não acontece com os homens — e sobra um mercado a ser explorado
 (Reprodução/Savage Fenty)
(Reprodução/Savage Fenty)
Por Matheus DoliveiraPublicado em 22/10/2020 13:45 | Última atualização em 22/10/2020 14:42Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Uma coleção de cuecas box que veste diversos tamanhos esgotou em pouquíssimas horas no início de outubro. A marca que realizou o feito é a Savage X Fenty, braço de roupas íntimas da Fenty, comandada por ninguém menos que Rihanna. Um dos motivos para o estrondoso sucesso, é claro, o fato de que qualquer novidade vinda do lado empresária da cantora barbadiana chama a atenção em segundos. Mas dessa vez, um outro fator imprescindível para as vendas foi a diversidade dos modelos que vestiam as peças da linha. Em vez dos tradicionais tanquinhos como regra, um modelo plus size foi o destaque da campanha, o que gerou um fenômeno incomum no universo da moda: uma enxurrada de comentários do público masculino, que, no geral, eram positivos em relação à postura da marca.

Nos últimos anos, mesmo que timidamente, a indústria da moda vem abraçando a diversidade corporal feminina. Um dos exemplos é o sucesso da supermodelo Ashley Graham, referência mundial quando o assunto é plus size. Na outra mão, modelos masculinos com corpos fora do padrão ainda lutam para ser aceitos. Marcas de moda como Asos e Jacamo já usaram modelos masculinos até maiores do que os da Savage X Fenty em campanhas recentes, mas elas fazem parte de uma exceção. 

O modelo que ajudou a esgotar a coleção de cuecas box de 22,90 dólares (cerca de 127 reais na cotação atual) da Savage X Fenty é Steven G, que no site da marca aparece vestindo uma peça tamanho XXL, o GGG no Brasil. 

Savage Fenty: a coleção de cuecas box de 22,90 dólares esgotou em poucos horas. (Savage Fenty/Reprodução)

Em entrevista ao The Guardian, Steven G disse que quando foi convidado para o trabalho com a Savage X Fenty, demorou para acreditar e até mesmo chegou a pensar que o convite era um engano. “Posso contar literalmente com uma mão as lojas que oferecem coleções tamanho GGG", afirmou.

Para além da celebração da diversidade, a estratégia de Rihanna com a variedade de modelos que estampam as campanhas da Savage X Fenty pode também ser bom para o caixa, já que um dos fatores decisivos para os consumidores é a identificação do cliente com a marca e com o produto ofertado. Ainda para o The Guardian, Steven disse esperar que o movimento da Savage X Fenty ajude as marcas a entender a pluralidade do público que compra, “vendo que homens grandes também são consumidores de moda”, afirmou. 

No superevento da Savage X Fenty realizado no dia 1º de outubro (que teve direito até mesmo a transmissão na Amazon Prime), Rihanna, diretora criativa do negócio, quis deixar claro a mensagem de que cria produtos pensando em uma marca para todos. Enquanto gigantes como a Victoria's Secret ainda se apegam no mais tradicional do mundo da moda, marcas rebeldes como a Savage X Fenty enxergam no antagonismo uma oportunidade extra de fazer bons negócios.