Casual

Os quatro segredos de viagem dos super ricos

Da contratação de chefs particulares ao fim da bagagem, eles têm preferências bastante específicas na hora de viajar

Os mais ricos enviam os pertences por correio em vez de usar malas, diz especialista (Montagem de Julio Gomes/EXAME/Divulgação)

Os mais ricos enviam os pertences por correio em vez de usar malas, diz especialista (Montagem de Julio Gomes/EXAME/Divulgação)

Publicado em 22 de abril de 2024 às 10h07.

Jaclyn Sienna India é a fundadora da Sienna Charles, uma agência que cuida dos desejos dos mais ricos em suas viagens. Recentemente, ela compartilhou com a CNBC quatro segredos de viagens de que os super ricos tiram vantagem na hora de viajar.

De acordo com a especialista, está na moda ficar em casas de campo ou iates alugados por bilionários. Assim, o dono da propriedade já treinou a equipe para atender às vontades mais extraordinárias e chiques dos convidados, de forma que toda a experiência se torna personalizada.

Outro hábito dos ultra ricos é evitar a bagagem. Desse modo, em vez de lidar com malas e mochilas, como a maioria das pessoas, eles enviam seus pertences por correio. Os bens chegam no destino no dia seguinte sem a necessidade de se encarregar de pesos e bolsas.

Na terceira posição, no lugar de visitar restaurantes de elite quando viajam, esses indivíduos têm contratado chefs particulares. O costume pode fazer com que eles evitem filas e mesas cheias em nome de uma experiência muito mais privada e exclusiva.

Por fim, o principal objetivo dos super ricos é fazer passeios únicos. Dessa forma, é menos provável que eles visitem locais tipicamente considerados populares para férias do que ilhas de menor tamanho e menos conhecidas, por exemplo.

Com informações da CNBC.

Acompanhe tudo sobre:BilionáriosMilionáriosViagens

Mais de Casual

CCBB Rio terá 1ª Mostra de Cinema Haitiano no Brasil

Organizador de Cannes elogia 'volta' do cinema brasileiro

Qual o destino de neve preferido dos brasileiros? Dois hotéis de luxo sabem a resposta

Com modelo de franquia, Evino quer chegar ao fim do ano com 30 lojas no país

Mais na Exame