Metade do Japão acha que Olimpíada acontecerá mesmo com alta rejeição

Autoridades do primeiro escalão do governo disseram várias vezes que a administração continuará a trabalhar em medidas contra o coronavírus para sediar Jogos "seguros e protegidos"

Metade do público japonês acredita que a Olimpíada de 2020 acontecerá, mostrou uma pesquisa do jornal Yomiuri nesta segunda-feira, apesar de a maioria das pessoas se opor à realização dos Jogos durante a pandemia de Covid-19.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor 

A Olimpíada já foi adiada em um ano em meio às preocupações sobre como os organizadores podem garantir a segurança dos atletas, das autoridades e do público japonês quando o evento começar no dia 23 de julho após uma quarta onda de infecções.

Parlamentares de oposição pressionaram o primeiro-ministro, Yoshihide Suga, e ministros do gabinete nesta segunda-feira por causa da decisão de levar o evento adiante depois que várias pesquisas indicaram que o povo não é a favor.

Autoridades do primeiro escalão do governo disseram várias vezes que a administração continuará a trabalhar em medidas contra o coronavírus para sediar Jogos "seguros e protegidos" e que uma decisão sobre espectadores domésticos será tomada neste mês.

"Adotar medidas de controle de infecção para atletas e autoridades dos Jogos para que atletas de todo o mundo possam participar em segurança e para proteger as vidas e saúde do nosso povo, acho que esta é a premissa de se realizar (a Olimpíada)", disse Suga aos parlamentares.

Em uma sondagem do Yomiuri realizada entre 4 e 6 de junho, 50% dos entrevistados disseram que os Jogos acontecerão no verão, 26% disseram que ocorrerão sem espectadores e cerca de 48% disseram que o evento será cancelado.

Mas a maioria dos entrevistados da mesma pesquisa disse que as medidas de prevenção do vírus para atletas e participantes são inadequadas, e o apoio público ao governo Suga está em 37%, seu nível mais baixo.

Espectadores estrangeiros já foram barrados da Olimpíada, e os japoneses também podem ser impedidos de assistir o que os organizadores prometem ser um evento em uma "bolha" desinfetada para minimizar o risco de contágio.

Autoridades municipais reduziram a escala dos eventos de revezamento da tocha olímpica, e cidades que abrigariam atletas olímpicos mudaram de ideia.

Kaori Yamaguchi, medalhista de judô nos Jogos de Seul de 1988 e membro do comitê olímpico local, aumentou o rancor em todo o Japão na sexta-feira ao dizer que sua nação foi "encurralada" para levar adiante os Jogos e acusou o comitê organizador da Tóquio-2020 de ignorar a opinião pública.

"Para que e para quem será esta Olimpíada? Os Jogos já perderam o sentido, e estão sendo realizados só para ser realizados. Acredito que já perdemos a oportunidade de cancelar", escreveu ela em um artigo de opinião para a agência de notícias Kyodo.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também