Luiza Brasil: “Influenciadores precisam se conectar a pautas importantes”

Fundadora da plataforma Mequetrefismos, que defende o protagonismo negro, a influenciadora é a terceira entrevistada da série de vídeos da coluna Nosso Olhar, comandada por Yasmine McDougall Sterea, CEO do Free Free

São 134 milhões pessoas conectadas à internet e duas pandemias – a do novo coronavírus e a das fake news. Como os influenciadores digitais devem se comportar nesse contexto? A pergunta serviu de base para a terceira edição da série de entrevistas da coluna Nosso Olhar, comandada por Yasmine McDougall Sterea, CEO do Free Free. A entrevistada da vez foi Luiza Brasil, influenciadora digital e fundadora da plataforma Mequetrefismos, que promove o protagonismo negro.

Seu dinheiro está seguro? Aprenda a proteger seu patrimônio

Assista a entrevista com Luiza Brasil na íntegra:

“O universo dos influenciadores antes era regido pelos números e agora pela forma como eles conseguem engajar outras pessoas”, disse ela, que se formou em jornalismo pela PUC-RJ e trabalhou com mulheres conhecidas como Costanza Pascolato. “No que me baseio: se desligarem a chave da internet hoje qual terá sido a transformação e o impacto que deixei no mundo?”.

Disse mais: “Acredito que os influenciadores precisam se conectar a pautas importantes. Não significa que precisam se posicionar sobre tudo. Mas precisam trazer para seu público as questões raciais, sociais, políticas e de gênero que estão sendo debatidas. Não dá mais para criar conteúdo sem pensar no que está acontecendo no mundo e no brasil. E acabou o tempo do achismo e da opinião”.

Ela define o Mequetrefismos, que soma 109.000 seguidores no Instagram, como um “acelerador de histórias pautadas na comunidade preta e na questão do gênero e da mulher”. “Como as pessoas podem apoiar as questões raciais? Percebendo que as vivências negras são muitas, que não há uma única vivência. Precisamos nos unir a uma rede de pessoas. Sou otimista e acho que existem muitas coisas boas acontecendo. Mas quantas pessoas negras você segue no Instagram? Quantas há no seu trabalho?”

Quinzenal, a série de entrevistas da coluna Nossa Olhar estreou pouco antes do Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, com a participação de Juliana Azevedo, CEO da P&G. “É uma série focada em liderança feminina e equidade de gênero”, explica Yasmine. “Propõe uma mudança social tanto para homens quanto mulheres”. A segunda participante foi a engenheira Michele Robert, que ocupa o cargo de CEO da Gerdau Summit desde novembro.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.