Compradores de casas de luxo em Londres buscam lugar para jatos

Clientes super-ricos estão fazendo mais viagens em jatos particulares agora que a pandemia restringiu as viagens aéreas comerciais

Os compradores de casas e mansões luxuosas em Londres e arredores estão exigindo uma nova comodidade na era de Covid-19: a proximidade de aeroportos privados.

Está faltando dinheiro para comprar o seu avião? Investir na bolsa pode ser a solução. Comece agora!

Clientes super-ricos estão fazendo mais viagens em jatos particulares agora que a pandemia restringiu as viagens aéreas comerciais, de acordo com corretora imobiliária de luxo Beauchamp Estates de Londres. Isso inclui compradores estrangeiros que vêm usando aviões particulares para voar para a Inglaterra.

“Esta mudança nas viagens com o uso de jatos particulares colocou foco em residências com fácil acesso a aeroportos privados menores”, disse o diretor-gerente de Beauchamp, Jeremy Gee. “Nossos clientes agora estão nos pedindo para encontrar para eles casas grandes com acesso a lugares como Farnborough e Northolt”, disse ele, referindo-se a aeroportos dentro e perto de Londres.

As casas de luxo de Londres não estão aproveitando o boom que mobilizou o mercado residencial mais amplo. Os preços estão sob pressão há anos, com queda de 4,3% em 2020 dos valores no centro da cidade, de acordo com a corretora Knight Frank. Um ponto positivo são as mansões fora da capital, que tiveram o maior crescimento de preços em mais de seis anos, com os compradores evitando viver na cidade.

E se houver um aeroporto próximo, é um bônus. A Windsor Park Hall, uma mansão no condado rural de Surrey e perto do aeroporto de Farnborough, foi comprada por 21,5 milhões de libras (US$ 29,3 milhões) no final do ano passado, de acordo com a Beauchamp, que intermediou o negócio. O comprador, um bilionário russo, usou um jato particular para chegar à propriedade de 2.700 metros quadrados.

Mas pode ser preciso mais do que uma pista de pouso para a retomada do mercado de casas de luxo em 2021. O governo britânico lançou a ideia de aumento da taxa sobre ganhos de capital para ajudar a pagar o fardo econômico da pandemia, e isso além de um aumento de impostos para compradores estrangeiros a partir de abril.

“A tributação aqui é realmente o que impede que um grande volume em dinheiro volte para Londres”, disse Marcus O’Brien, negociador de vendas da Beauchamp.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.