Universidade do Canadá muda MBA para atrair mais brasileiros

A faculdade de administração, considerada a número 1 do Canadá, é uma favorita entre os brasileiros. O curso de MBA mudou, mas ainda oferece bolsas de estudo

Se o ano de 2020 foi desanimador para quem deseja estudar fora do Brasil, 2021 começa com novidades para os interessados em realizar um MBA no Canadá. A Faculdade de Administração Desautels da Universidade McGill, considerada a número 1 do país, anuncia uma reformulação em seu MBA.

A ideia não é apenas se adequar às demandas por conhecimentos digitais do mercado, mas aumentar sua atratividade para alunos estrangeiros. Os brasileiros ficam em segundo lugar, apenas depois dos mexicanos, em número de alunos da instituição.

“A necessidade de mudança veio de três lugares. Primeiro, a necessidade de flexibilidade na duração, um dos principais pedidos dos alunos. Segundo, a necessidade de renovar o programa e usar para nova vantagem a posição de Montreal como hub de inteligência artificial e machine learning”, conta John-Paul Ferguson, professor e diretor acadêmico do programa de MBA.

Em terceiro lugar, entra a pauta da sustentabilidade no curso. Segundo o professor, o tema não é uma aula opcional a mais, mas começa a dar o tom das aulas de gestão. “Partimos da ideia de que o impacto ambiental começará a fazer parte de todas as decisões de gestão”, fala ele.

Com a demanda diferente dos alunos locais e internacionais, a faculdade agora oferece opções de um ano e de dois anos de duração. Dessa forma, quem deseja retornar rapidamente ao mercado terá agilidade em sua formação. E quem deseja experimentar o mercado de trabalho no Canadá pode fazer a versão mais longa e ainda realizar um estágio.

“A demanda por um MBA com o foco em dados e análise vem dos dois lados, dos alunos e das empresas. Todo aluno entende hoje que precisa entender sobre programação também. Eles trouxeram os pedidos pela sustentabilidade no centro das aulas”, diz Ferguson.

Para os brasileiros, o professor conta que o hub de inovação de Montreal é um grande atrativo. Segundo ele, parte do interesse dos alunos é adquirir conhecimentos técnicos junto com habilidades de gestão de negócios e depois adquirir experiência em contato com o mercado e talentos da área.

Para Ferguson, a pandemia não desestimulou a procura do curso pelo público internacional. Mesmo com as aulas online, os estudantes internacionais ainda buscam a oportunidade de entrar em contato com o mercado canadense.

O professor se mantém otimista que as aulas presenciais sejam retomadas no outono de 2021 (primavera no Hemifério Sul). E dá o aviso: nada mudou quanto às bolsas de estudo disponíveis para os alunos brasileiros.

“Temos todo o interesse em ajudar com os custos. Uma vez que decidimos admitir um aluno, temos opções para ajudá-lo a vir para cá e dar suporte a ele. E isso não mudou”, comenta.

Saiba mais sobre o programa de MBA e bolsas de estudo pelo site.

 

 

 

 

 

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também