Na Abbott, uma mulher vence a resistência da fábrica

Ana Paula Antunes assumiu a direção da fábrica de medicante um ano atrás

São Paulo - Há um ano, a farmacêutica industrial Ana Paula Antunes, de 40 anos, assumiu a direção da fábrica de medicamentos Abbott no Rio de Janeiro, onde comanda 300 empregados e oito gerentes — a maioria homens. Um de seus primeiros desafios na função foi superar a dificuldade de comunicação com a equipe.

“No começo, senti distanciamento e resistência dos funcionários. Não sei se era por eu ser mulher ou por ser nova no cargo”, diz. Para lidar com a questão, criou o Café com Conversa, no qual conhece os operários da fábrica e responde às perguntas deles. “O grau de cumplicidade aumentou”, diz.

Superada a barreira de comunicação, o resultado começou a aparecer, com projetos que resultaram numa economia de 2,9 milhões de litros de água por ano.

Seu segundo desafio foi conciliar a agenda de diretora de fábrica com a de mãe. Para coordenar as funções, Ana trabalha pelo menos um dia por semana de casa. Mas nem sempre dá conta de tudo. “Já faltei em festas da escola, mas meu marido grava, eu assisto e choro depois”, afirma.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.