Carreira
Acompanhe:

Desigualdade salarial entre homens e mulheres “é uma vergonha”, diz Papa Francisco

A desigualdade salarial entre homens e mulheres já é assunto polêmico até no Vaticano

 (Getty Images)

(Getty Images)

A
Adeline Daniele

Publicado em 29 de abril de 2015, 10h00.

A desigualdade salarial entre homens e mulheres já é assunto polêmico até no Vaticano: durante uma audiência nesta quarta-feira (29), o Papa Francisco afirmou que o fato dessa disparidade existir "é uma vergonha".

O comentário foi feito durante uma audiência geral que era parte de uma declaração ampla sobre a importância do casamento.

Segundo o serviço italiano de notícias ANSA, esta foi a observação feita pelo pontífice:

Como cristãos, nós devemos ser mais exigentes, por exemplo, apoiando o direito de igualdade salarial pela igualdade do trabalho. Por que deveríamos admitir que as mulheres ganhem menos que os homens?

Não é de se espantar que uma autoridade mundial também comente sobre esse assunto, que é um problema iminente em todos os setores e países.

Apenas no Brasil, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2013 aponta que as mulheres recebem 73,7% do salário dos homens.

E ao invés de diminuir, essa desigualdade apenas aumentou: em 2012, essa porcentagem era de 72,8%.

Um outro estudo da empresa global de consultoria Hay Group revela que as mulheres em cargos de diretoria ganham, em média, 34.990 reais, enquanto a remuneração para homens é de 40.862 reais.

No setor de tecnologia essa disparidade é ainda mais evidente: um levantamento feito pelo site norte-americano Glassdoor mostra que além de compor uma pequena fração do quadro de funcionários nas empresas, as mulheres chegam a ganhar 6 mil dólares menos que seus colegas homens, mesmo tendo a mesma experiência e cargo que eles.

O problema tem sido amplamente discutido por autoridades, ONGs e empresas e já virou assunto de campanhas e até pegadinhas.

Em uma ação contra a discriminação salarial promovida pela agência Agnelo Comunicação, um restaurante de São Paulo entregava aos homens um cardápio que cobrava 30% a mais pelos pratos. A pegadinha, chamada de “Unfair Menu” (Menu Injusto), surpreendeu os clientes, que reagiram com aplausos depois de descobrir do que a campanha se tratava.

Já no vídeo compartilhado pela página do Facebook chamada Empodere Duas Mulheres, uma mulher descobre que ganha 78% do que um colega de trabalho exercendo a mesma função. Ela, então, muda de atitude e passa a se dedicar na mesma proporção com a qual é remunerada. Veja abaixo:

 

Sobre a questão da diferença salarial entre homens e mulheres:

Posted by Empodere Duas Mulheres on Quarta, 15 de abril de 2015