A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Chances também para gestores

Na Região Sul do país, o destaque é o aumento da procura por gerentes e supervisores – em especial para o setor industrial

Joinville - O agronegócio é a locomotiva que movimenta a economia da Região Sul, mas a indústria e o varejo vêm ganhando projeção regional nos últimos anos. Ao todo, são 14 952 oportunidades de emprego nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina — é o que mostra o levantamento da VOCÊ S/A.

Em 2010, a indústria responde pela maior oferta de empregos qualificados, aqueles que exigem experiência profissional associada à boa formação técnica ou acadêmica. Parte dessa demanda por gente é reflexo dos cortes que as empresas fizeram em 2008 e 2009 em decorrência da crise financeira internacional.

Agora, as montadoras de automóveis e caminhões e as fabricantes de máquinas agrícolas estão retomando seus níveis de produção e voltam a contratar. “Como a retomada após a crise veio bem antes do previsto, as empresas ainda têm lacunas na sua estrutura organizacional”, diz Carlos Biedermann, líder da consultoria PricewaterhouseCoopers na região. 

Além do setor automotivo, há oportunidades na indústria, nas empresas de alimentos e bebidas. É o caso da Spaipa, franqueadora do sistema Coca-Cola, responsável pela distribuição dos produtos da empresa para o Paraná e interior do estado de São Paulo. Neste ano, a empresa deve contratar mais de 1 500 profissionais, sendo 937 deles para a Região Sul.

A Aurora Alimentos, com sede em Chapecó (SC), também está entre as grandes empregadoras deste ano e pretende abrir 510 vagas, 413 delas para o Sul. Há ainda oportunidades na indústria de tecnologia. O mercado de TI ganha cada vez mais ênfase no Sul, com abertura de vagas principalmente na região de Curitiba e Joinville.

“Certamente, é um segmento com grande demanda de líderes”, diz Sérgio Roberto Arruda, diretor regional do Senai (SC). Enquanto em Santa Catarina há forte desenvolvimento de softwares, o Rio Grande do Sul sedia a primeira fábrica de chips latino-americana, a Ceitec S.A, do Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada, em operação desde 2007.

E o Paraná, por sua vez, lidera a produção de PCs. “Hoje, a Positivo paranaense é a maior produtora da Região Sul”, diz Bernt Entschev, da consultoria que leva seu nome. 

A rede de contatos importa

Fora da indústria, o setor de varejo, um dos destaques nacionais em oferta de vagas, também cresce no Sul. Além da rede de supermercados Atacadão, que deve gerar 855 vagas na região, grandes grupos locais merecem destaque. É o caso das Lojas Colombo, rede de eletroeletrônicos com sede em Farroupilha (RS), que criará 2 851 empregos nos três estados do Sul.

A rede de material de construção Balaroti, sediada em Curitiba, é outro exemplo. A empresa vai inaugurar novas lojas e pretende abrir 150 vagas nos estados de Santa Catarina e Paraná. 

A maioria das companhias sulistas tem gestão familiar e capital fechado. Por isso, apesar de um aumento crescente na profissionalização das empresas, especialmente em grandes cidades, como Porto Alegre e Curitiba, a indicação ainda é uma prática comum para as contratações. Fica a dica: crie uma boa rede de relacionamentos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também