Um conteúdo Bússola

Vale Sul e Kinoplex investem R$ 25 mi na criação de cinema de luxo com bar e restaurante ‘na sala’

Apostando em imersão e conforto, a parceria projetou salas que permitem serviço de bar e restaurante direto na poltrona

Sala do Kinoplex Diamante Vale Sul (Kinoplex /Divulgação)
Sala do Kinoplex Diamante Vale Sul (Kinoplex /Divulgação)
Aquiles Rodrigues
Aquiles Rodrigues

Repórter Bússola

Publicado em 7 de dezembro de 2023 às 07h00.

Última atualização em 7 de dezembro de 2023 às 16h09.

O cinema brasileiro ainda está se recuperando da crise vivenciada durante a pandemia de Covid-19. Substituídas pelas plataformas de streaming, as salas comerciais ainda não alcançaram o público que possuíam antes do período de isolamento social, mas já estão encontrando novas maneiras de gerar valor e resgatar os clientes.

No mercado de luxo, no caso do Shopping Vale Sul e a rede Kinoplex, a aposta está na seguinte ideia: transformar a sala de cinema em uma sala de casa 2.0, com bar, restaurante, serviço na poltrona e até menu preparado por vencedora do MasterChef Profissionais. Inaugurado no dia 30 de novembro, o Kinoplex Diamante Vale Sul coloca o conceito à prova, utilizando recursos exclusivos, possibilitados pelos R$ 25 milhões investidos na sua criação. 

“A inauguração foi bastante positiva, todos saíram encantados com o que viram. Fizemos um soft open e os resultados estão dentro do planejado. Começamos de forma parcial, com 1 sessão por sala –  totalizando 4 por dia – e já registramos algumas sessões com os ingressos esgotados”, afirma Patrícia Cotta, Head de Marketing do Kinoplex.

Serviço de bar e restaurante dentro da sala

O principal diferencial do cinema se encontra na fusão de sala escura, bar e restaurante. Equipadas com uma maquininha da Cielo, as poltronas permitem que os clientes façam pedidos de pipoca, snacks e bebidas sem sair do lugar e a qualquer momento da sessão. O pedido é enviado para a cozinha e servido ao cliente assim que pronto.

Este serviço está disponível em todas as quatro salas que, por sua vez, somam um total de 212 lugares em um espaço de aproximadamente 1.500 m². Quando questionada se o vai e vem dos atendentes não atrapalha as sessões, Patrícia explicou: “A experiência do cliente de assistir ao filme não é prejudicada pelo serviço, uma vez que a sala foi projetada de modo que o atendente não passe na frente dos clientes. As cabines — com sofá para até duas pessoas cada — têm acesso em apenas uma lateral, e os atendentes passam pela parte de baixo da sala até chegarem à cabine que fez o pedido”.

Bar do Kinoplex Diamante Vale Sul (Kinoplex /Divulgação)

Menu criado por Dayse Paparoto

A vencedora do primeiro MasterChef Profissionais (2016) Dayse Paparoto é a criadora do menu disponível no restaurante do Kinoplex Diamante Vale Sul. Para o cinema, a proprietária do Paparoto Cucina desenvolveu pratos pensados em longa-metragens de sucesso mundial.

São cinco opções de entrada, seis de pratos principais e uma variedade de snacks para consumo durante a sessão. Destacam-se a entrada inspirada no filme “Ratatouille”, que consiste numa versão autoral do tradicional prato francês que deu nome à animação, e  “A Dama e o Vagabundo”, que é um espaguete com almôndegas, com molho de tomate e crocante de pão com ervas, referenciando a cena famosa do filme. O bar também oferece drinks inspirados no cinema e criados pela chef Dayse e o consultor Gustavo Morais, incluindo títulos como Avatar, Shrek e Homem Aranha, com opções não alcoólicas. 

Tecnologia

A projeção do filme nas telas será feita com sistema a laser, que oferece maior brilho e imagem mais nítida, sem perder a qualidade, mantendo a luminosidade nos padrões de excelência da indústria. O sistema de som será feito por caixas THX da marca KCS, presente nos maiores players de exibição no mundo. Essa tecnologia, segundo a Kinoplex, promete passar para o espectador toda a sensação sonora que o diretor do filme idealizou.

Com a abertura recente o cinema não tem resultados concretos, mas o investimento da Kinoplex e o Vale Sul já apresenta potencial. Segundo a Agência Nacional do Cinema (ANCINE), em junho o público brasileiro nas salas comerciais aumentou em 22% quando comparado a 2022, mas permanece 37% abaixo do alcançado em 2019, ano pré -pandemia. As discussões da indústria, atualmente, estão mais centradas nas questões do streaming – é o caso da PL 2331/2022 que propõe a regulamentação dos serviços –, mas o investimento na experiência das salas pode representar uma alternativa efetiva para avançar em direção aos padrões de operação ideais ao negócio.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

 PLAY: sou famoso? Quero um documentário agora

Bússola Cultural: semana destaca mostra de cinema coreano e Afrofestival

Quem vai salvar o esporte mundial – o private equity, as apostas ou o streaming?

Acompanhe tudo sobre:CinemaCulturaStreaming

Mais de Bússola

Análise do Alon: um esboço de (começo de) autópsia

Como a inteligência artificial está transformando as corretoras de seguros

Roku, agregadora de serviços de streaming, quer se consolidar no Brasil fazendo parceria com PPPs

Bússola Cultural: Museu da Língua Portuguesa exibirá filmes ao ar livre 

Mais na Exame