• AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,48 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,69 1.03
  • AERI3 R$ 4,38 16.80
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,61 -1.40
  • ALPA4 R$ 21,69 -0.50
  • ALSO3 R$ 19,87 0.91
  • ALUP11 R$ 26,19 -0.23
  • AMAR3 R$ 2,38 6.73
  • AMBP3 R$ 29,63 -0.40
  • AMER3 R$ 23,66 2.65
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,55 3.16
  • ARZZ3 R$ 82,77 0.34
  • ASAI3 R$ 15,37 -0.71
  • AZUL4 R$ 21,26 2.80
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,48 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,69 1.03
  • AERI3 R$ 4,38 16.80
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,61 -1.40
  • ALPA4 R$ 21,69 -0.50
  • ALSO3 R$ 19,87 0.91
  • ALUP11 R$ 26,19 -0.23
  • AMAR3 R$ 2,38 6.73
  • AMBP3 R$ 29,63 -0.40
  • AMER3 R$ 23,66 2.65
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,55 3.16
  • ARZZ3 R$ 82,77 0.34
  • ASAI3 R$ 15,37 -0.71
  • AZUL4 R$ 21,26 2.80
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Unesco reconhece união homoafetiva como patrimônio mundial

Para ex-ministro do STF, Ayres Britto, a decisão é um caminho de qualidade civilizatória democrática e humanista
Imagem de arquivo de casamento: união entre pessoas do mesmo sexo se torna patrimônio mundial (Getty Images/Mario Tama)
Imagem de arquivo de casamento: união entre pessoas do mesmo sexo se torna patrimônio mundial (Getty Images/Mario Tama)
Por Agência BrasilPublicado em 13/12/2018 09:57 | Última atualização em 13/12/2018 09:58Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de reconhecer, em 2011, a união homoafetiva e a garantia dos direitos fundamentais aos homossexuais, recebeu o certificado MoWBrasil 2018, oferecido pelo Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco),

A decisão foi inscrita como patrimônio documental da humanidade no Registro Nacional do Brasil. O ex-ministro Ayres Britto, do STF, relator das ações que trataram do tema, representou a Corte durante cerimônia ontem (12), no Rio de Janeiro.

"A Constituição é arejadora dos costumes e sabe enterrar ideias mortas", ressaltou o ministro. "[A decisão do STF] é de proibição do preconceito em função do modo sexual de ser das pessoas", disse.

Ayres Britto acrescentou que este é um caminho de qualidade civilizatória democrática e humanista. "É caminho sem volta, é descolonização mental."

A presidente do Comitê Nacional da Memória do Mundo da Unesco, Jussara Derenji, destacou que "um caleidoscópio da história está se formando através de novas contribuições das instituições nacionais".