A página inicial está de cara nova Experimentar close button

SP reduz previsão de mortes por covid-19 e se diz preparado para nova onda

Até a última semana, o governo do estado prevista que 20 mil pessoas perderiam a vida por causa do coronavírus, agora estima 18 mil vítimas

O estado de São Paulo pode chegar a um total de 18 mil mortes e 290 mil casos da covid-19 até o fim de junho. A previsão foi feita pelo Centro de Contingência para o coronavírus do governo do estado e divulgada nesta segunda-feira, 15.

O número inicial era de até 20 mil óbitos e 265 mil casos em São Paulo, mas a mudança na evolução da pandemia nas últimas semanas fez o governo revisar o panorama.

"Este número de óbitos talvez esteja chegando em uma estabilização e esperamos que ele comece a cair. Os casos aumentam porque estamos testando mais. E nós temos espaço para absorver qualquer segunda onda que possa vir a ocorrer", disse Carlos Carvalho, diretor do Centro de Contingência, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Segundo ele, na última semana, São Paulo registrou 1.523 mortes por covid-19. Na semana anterior, foram 1.526.

Ainda de acordo com os dados do governo, a taxa de crescimento semanal do número de óbitos teve uma desaceleração. Há pouco mais de um mês, a evolução dos óbitos nesta base era de cerca de 30%. Este valor foi de 16,81% no último balanço.

O estado tem um total de 10.767 vítimas e 181.460 novos casos confirmados de coronavírus, segundo Secretaria da Saúde. 

As medidas de isolamento social também deram tempo para que o estado se preparasse para atender as vítimas. No início da pandemia, São Paulo tinha uma capacidade instalada de 3.500 leitos de UTI, só para atender infectados pelo coronavírus. O total atual de leitos é de 7.610 leitos, mais que o dobro. Hoje a ocupação dos leitos de UTI no estado é de 70% e de 77% da grande São Paulo. 

No começo de maio, a ocupação chegou a ficar em 90% na região metropolitana e perto dos 80% no estado.

Começaram a valer a partir desta segunda-feira, as novas fases da quarentena estabelecidas pelo governo do estado. Toda a região metropolitana, Baixada Santista e Vale do Ribeira estão na fase 2, em que é possível abrir o comércio de rua e shoppings, respeitando a capacidade de 20% e medidas de higiene, como o uso de álcool em gel e de máscaras.

No entanto, as regiões de Presidente PrudenteBarretos e Ribeirão Preto voltam para a fase 1 do plano, que libera apenas os serviços essenciais.

Já as regiões de Araraquara e Bauru, que estavam na fase 3 do plano, voltam para a fase 2. Nesse caso, bares, restaurantes, salões de beleza e barbearias que haviam sido autorizados a reabrir, com restrições, fecham novamente.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também