Sinovac pediu para o Butantan adiar a divulgação da eficácia em dezembro

Nesta terça-feira, o Butantan divulgou os dados de eficácia geral da vacina, que ficou em 50,38%. O valor é acima do exigido por Anvisa e OMS

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse nesta terça-feira, 12, que a Sinovac pediu que a divulgação dos dados de eficácia da Coronavac, prevista para o dia 23 de dezembro, fosse adiada. O laboratório chinês é parceiro da instituição brasileira e é dono da tecnologia que desenvolve uma vacina contra a covid-19.

“Nós somos sócios da Sinovac e todas as informações são compartilhadas a todo tempo. As informações do dia 23 foram pré-analisadas, e eles pediram, de fato, para se aprofundar na análise porque achavam que o tempo estava muito curto. Pediram que não se divulgasse os números naquele momento até que se fizesse a análise”, disse Covas em entrevista coletiva.

Na época, o adiamento causou uma estranheza da comunidade científica, que chegou até a questionar os estudos clínicos da vacina. Ainda segundo Dimas Covas, o laboratório chinês pediu mais dados e esclarecimentos sobre a lista final de casos e que “de comum acordo” Sinovac e Butantan chegaram aos números de eficácia geral.

Após atrasos, nesta terça-feira, o Butantan divulgou que a eficácia geral da Coronavac é de 50,38%. Este número indica a capacidade do imunizante de evitar casos sintomáticos da covid-19, e foi elogiado por médicos e cientistas que estiveram presente em uma coletiva de imprensa na sede do instituto.

Apesar da eficácia ser mais mais baixa que outras vacinas (as da Pfizer e da Moderna ficaram acima de 90%), está no limite mínimo exigido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que é de 50%. Está também dentro dos padrões da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Ricardo Palácios, diretor médico de pesquisa clínica do Butantan, explicou que a eficácia ficou mais baixa porque considerou a resposta imunológica também em casos muito leves da doença, que não necessitam de atendimento médico.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.