Rodrigo Pacheco confirma oficialmente filiação ao PSD

Pela redes sociais, presidente do Senado comunicou que está deixando o DEM; evento de filiação será em Brasília, no Memorial JK
 (Reuters/Adriano Machado)
(Reuters/Adriano Machado)
Por Agência O GloboPublicado em 22/10/2021 12:55 | Última atualização em 22/10/2021 12:55Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, anunciou oficialmente nesta sexta-feira que deixará o DEM para se filiar ao PSD. A mudança de partido foi feita a convite do presidente nacional da sigla, o ex-ministro Gilberto Kassab, e abre caminho para que o senador concorra à Presidência da República em 2022. Pacheco já havia anunciado a decisão a membros da executiva do DEM e do PSD na terça-feira,
conforme noticiou o GLOBO.

A política vai seguir dando o tom na bolsa? Vai. E você pode aproveitar as oportunidades.  Aprenda a investir com a EXAME Academy

"Comunico que, nesta data, tomei a decisão de me filiar ao PSD, a convite de seu presidente, Gilberto Kassab. Agradeço aos filiados, colegas e amigos do Democratas de Minas Gerais e de todo o país o período de convivência partidária saudável e respeitosa", escreveu Pacheco no Twitter.

Na terça-feira à noite, Pacheco conversou pessoalmente com o presidente nacional do DEM, ACM Neto, para informar de sua saída do partido. O cacique foi pego de surpresa, pois esperava que o senador seguisse para o União Brasil, legenda criada a partir da fusão com o PSL.

Pacheco também era contado para concorrer à Presidência pelo União Brasil, mas disputaria a indicação com outros possíveis candidatos, como o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o apresentador José Luiz Datena.

"Meus agradecimentos especiais ao presidente ACM Neto pela atenção a mim sempre dispensada e manifesto meus votos de sucesso ao recém-criado União Brasil, na pessoa de seu presidente, deputado Luciano Bivar", completou Pacheco no Twitter.

O evento de filiação de Pacheco está marcado para a próxima quarta-feira, às 11h, no Memorial JK, em Brasília. A escolha do local foi pensada para se criar um paralelo com o ex-presidente Juscelino Kubitschek — tanto o ex-mandatário quanto Pacheco são de Minas Gerais.

Com a mudança, além de o senador passar a integrar o partido com a segunda maior bancada da Casa, ele estará um passo mais perto de disputar a eleição presidencial do ano que vem. Kassab é um dos maiores entusiastas da candidatura de Pacheco, que é visto como uma alternativa ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ao ex-presidente petista Lula.

Neste sábado, Pacheco é aguardado para um evento nacional do PSD no Rio, que contará com a presença de Kassab. Caso compareça, será o primeiro compromisso em que participa já com o anúncio oficial da mudança de partido.

  • Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME