PSDB se reúne amanhã para discutir sucessão de Cunha

Parlamentares querem discutir questão diante de possível anúncio de renúncia do presidente da Câmara.

Brasília - Diante de um possível anúncio de renúncia da presidência da Câmara, por parte do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), integrantes da bancada do PSDB da Casa se reúnem nesta terça-feira, 21, para iniciar as discussões sobre a sucessão do peemedebista.

O encontro dos tucanos, previsto para começar ao meio-dia, ocorrerá no mesmo dia em que Cunha deve realizar uma coletiva à imprensa em que deverá falar sobre a sua permanência no comando da Câmara.

"Vamos fazer amanhã uma reunião da bancada para começar a discutir esse assunto", afirmou o líder do PSDB, Antônio Imbassahy (BA).

O tucano nega haver uma articulação em curso com lideranças do PT e do PCdoB para se apresentar um nome de consenso do grupo para disputar a cadeira de presidente da Câmara, caso ela venha a ficar vaga.

Imbassahy ressalta ainda que não está descartada uma composição com o chamado Centrão (formado por PP, PR, PSD e PTB) para a escolha de um sucessor de Cunha.

"Primeiro temos que fazer uma escolha sem descriminar partidos ou grupos, até porque os antecedentes de dificuldades que a Câmara está vivenciando nos últimos meses recomenda muita cautela nesta decisão", considerou.

"Não tem essa de estar isolando grupo tal ou partido tal. Nosso pensamento é que na hora que for instalado esse processo, que está se aproximando em função da perspectiva concreta da vacância do cargo, dar início a essas conversações", acrescentou.

O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), retirou nesta segunda-feira, 20, da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) a consulta que poderia ajudar o presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a reverter em plenário seu pedido de cassação aprovado pelo Conselho de Ética na semana passada.

A intenção do parlamentar maranhense de retirar a consulta foi adiantada pelo Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, na última sexta-feira, 17. Em sua decisão, o parlamentar maranhense determinou o arquivamento da consulta.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.