Brasil
Acompanhe:

PGR denuncia Temer no caso dos portos por corrupção e lavagem de dinheiro

Denúncia diz que decreto ampliou por até 70 anos duração de dois contratos entre poder público e empresas do setor portuário

Michel Temer: presidente e outras cinco pessoas foram denunciadas pelos crimes (Adriano Machado/Reuters)

Michel Temer: presidente e outras cinco pessoas foram denunciadas pelos crimes (Adriano Machado/Reuters)

L
Lisandra Paraguassu, da Reuters

Publicado em 19 de dezembro de 2018, 20h34.

Última atualização em 19 de dezembro de 2018, 20h35.

Brasília - A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, denunciou nesta quarta-feira o presidente Michel Temer e outras cinco pessoas por corrupção e lavagem de dinheiro no chamado inquérito dos portos.

"Na denúncia, Raquel Dodge explica como se deram as negociações que levaram à edição do decreto que ampliou por até 70 anos a duração de dois contratos entre o poder público e empresas que exploram o setor portuário", informou comunicado da PGR.

O inquérito dos portos foi aberto em setembro do ano passado, diante da suspeita de que Temer teria recebido propina, por meio do então assessor especial Rodrigo Rocha Loures, para editar um decreto que beneficiou a Rodrimar em alterações legais para o setor. Mas, no curso das apurações, outros crimes foram sendo investigados.